Cameron: sair da UE seria reduzir a Grã-Bretanha à ‘pequena Bretanha’

© flickr.com / Paul LloydSign supporting a British exit from the EU
Sign supporting a British exit from the EU - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A insatisfação com União Europeia não é motivo para sair do bloco, não se deve transformar a Grã-Bretanha em “pequena Bretanha” disse nesta terça-feira o primeiro-ministro David Cameron, durante o debate com Nigel Farage, líder do Partido de Independência do Reino Unido (UKIP).

Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido - Sputnik Brasil
Cineasta afirma que Reino Unido terá governo de extrema direita se deixar UE
O referendo para decidir se a Grã-Bretanha permanece ou não na UE será realizado no dia 23 de junho.

“Bruxelas precisa de reformas? Sim. As instituições da UE precisam funcionar de modo mais transparente? Sim… A questão não é sobre se gostamos do Parlamento Europeu. Eu não gosto dele. A questão é: isso é melhor para nós, somos mais fortes estando ali? Precisamos fazer parte dessa organização, defender os interesses britânicos e as vagas de trabalho britânicas. Não somos do tipo que simplesmente vai embora. Preocupação com alguma coisa não é motivo para partir”, disse Cameron.   

O primeiro-ministro inglês pediu aos seus compatriotas que não votem por uma “pequena Bretanha”. Segundo ele, a saída da zona do Euro (possibilidade denominada de Brexit pela imprensa) provocará perda da influência britânica no mundo. “Eu estou preocupado com o fato de, se a gente sair, a nossa economia sofrer, porque perderemos acesso a um mercado de importância vital para nós. Eu acho que é melhor para os britânicos defender os próprios interesses no âmbito da UE, e não aceitar a proposta de Nigel Farage de uma “pequena Inglaterra”, disse Cameron.

Presidente dos EUA, Barack Obama e o primeiro-ministro britânico David Cameron - Sputnik Brasil
Britânicos criticam Obama por causa de sua posição sobre União Europeia
O premiê inglês aproveitou para lembrar das recentes conquistas políticas, alcançadas por ele junto à UE, referindo-se às condições para a permanência da Grã-Bretanha no bloco, aceitas pelo Parlamento Europeu. Segundo o líder britânico, essas condições permitem ao país o acesso ao “melhor dos dois mundos”. 

Nigel Farage, por outro lado, declarou que a UE atualmente está dando “boas vindas aos terroristas”. Segundo o político, a saída do bloco significará independência britânica e uma solução parcial do problema da migração que, segundo o líder do UKIP, é uma grande ameaça para a prosperidade do país.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала