Presidente chinês aspira à confiança mútua com EUA

© AFP 2022 / SAUL LOEB / POOLPresidente chinês Xi Jinping fala na sessão de abertura do 6º Diálogo Econômico e Estratégico entre os EUA e a China, Pequim, China, 6 de junho de 2016
Presidente chinês Xi Jinping fala na sessão de abertura do 6º Diálogo Econômico e Estratégico entre os EUA e a China, Pequim, China, 6 de junho de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Durante o seu discurso na abertura do diálogo anual entre os EUA e a China, na segunda-feira (6), o presidente chinês Xi Jinping disse que ambos os países têm interesses na região e devem aprender a cooperar.

Xadrez - Sputnik Brasil
China faz xeque-mate a Washington no palco global
O presidente chinês Xi Jinping apelou aos EUA para desenvolver a confiança mútua e desistir de aceitar posições que levam à confrontação sobre assuntos críticos.

"Devemos consolidar a confiança mútua entre os nossos países", disse o presidente chinês em Pequim, informou o jornal The South China Morning Post. "O mais importante é não aceitar posições de confrontação em relação a quaisquer diferenças".

Abordando o assunto da rivalidade dos dois países na região, Xi Jinping afirmou que é necessário que os países aprendam a cooperar um com o outro.

"Devemos realizar encontros regulares, desenvolver a cooperação, superar os vários desafios e trabalhar diligentemente para cultivar um círculo de amigos comuns em vez de exclusivo entre os dois países", disse Xi Jinping.

Li Keqiang, primeiro-ministro da China - Sputnik Brasil
China não se considera 'superpotência'
Destacou que Pequim favorece uma abordagem dupla no que tem a ver com os territórios disputados no mar da China Oriental, segundo a qual os países envolvidos na disputa devem comunicar uns com o outros de modo direto.

"Se a abordagem dupla for aceite, as disputas do mar da China do Sul podem resolvidas de forma apropriada", notou o líder chinês.

O Secretário de Estado John Kerry disse na cerimónia de abertura que as disputas no mar da China do Sul devem ser resolvidas em concordância como direito internacional.

"Aspiramos resolver de forma pacífica a disputa no mar da China do Sul e manifestar-se contra qualquer país que resolve assuntos através ações unilaterais", disse Xi Jinping citado pela mídia.

O mar do Sul da China - Sputnik Brasil
Pequim pode criar zona de defesa aérea no mar do Sul da China
O 6º Diálogo Econômico e Estratégico entre os EUA e a China iniciou-se em Pequim na segunda-feira (6) no meio de tensões crescentes no mar da China do Sul. Os EUA criticam a China por construir ilhas artificiais para reclamar vastas áreas de mar que também pode ser reclamado pelos vizinhos da China.

A agenda das negociações inclui também segurança marítima e o programa nuclear e de mísseis da Coreia do Norte, informou o Departamento de Estado norte-americano.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала