Alemanha não considera mais a Rússia como país parceiro

© Sputnik / Aleksandr Kryazhev / Abrir o banco de imagensMatreshka
Matreshka - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Governo da Alemanha está se preparando, pela primeira vez desde 2006, para atualizar o Livro Branco sobre a política de segurança nacional do país. Elaborado pelo Ministério da Defesa, o documento de 80 páginas foi agora atualizado com os contributos de outras entidades governamentais e de segurança.

Angela Merkel, chanceler da Alemanha - Sputnik Brasil
Angela Merkel quer espaço econômico comum de Lisboa a Vladivostok
O resultado foi uma série de mudanças fundamentais, incluindo em relação à Rússia: Esta é agora considerada não um país "parceiro" mas "rival", escreve o Die Welt.

Segundo os autores, a Rússia está tornando pouco clara a linha entre a guerra e a paz.

"Moscou está promovendo os seus próprios interesses por meios violentos, mudando sem autorização as fronteiras garantidas pelo direito internacional e, portanto, representa uma ameaça para a ordem mundial formada após o fim da Guerra Fria", indica o documento.

Também se diz que a Rússia "se está afastando do Ocidente, reforçando a estratégica de competição e aumento da atividade militar nas fronteiras externas da União Europeia".

Um dos aspetos que suscita grande preocupação dos autores do livro é "o uso de meios de comunicação digitais para influenciar a opinião pública, o controle informal sobre as discussões nas redes sociais e até a manipulação das notícias", enfatiza a publicação.

Tudo isso, de acordo com os responsáveis, pode ter consequências graves para a Alemanha. "Por isso, se não houver uma mudança fundamental na sua política, no futuro mais próximo, a Rússia representará um desafio para a segurança no nosso continente", se resume no livro.

comandante da OTAN Curtis Scaparotti - Sputnik Brasil
Kremlin: Rússia não ameaça ninguém
Em total, no documento são apresentadas 10 ameaças à República Federal da Alemanha, nas quais se incluem, em particular, o terrorismo internacional, o nacionalismo radical, as questões da imigração e o risco de epidemias devido ao crescimento da população.

As alterações do Livro Branco devem ser aprovadas e submetidas ao Conselho de Ministros antes das férias de verão, informa o jornal.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала