Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Humberto Costa: Governo interino e sua base não querem que verdade venha à tona

ENTREVISTA COM HUMBERTO COSTA 2 DE 03 06 16
Nos siga no
“A rejeição, pelo relator Antônio Anastasia (PSDB-MG), do pedido da defesa da Presidente Dilma Rousseff para inclusão no processo de impeachment da transcrição das conversas gravadas entre Sérgio Machado [ex-presidente da Transpetro] e políticos do PMDB é um demonstrativo de que o real objetivo do afastamento da presidente é tirá-la do poder.”

As palavras são de Humberto Costa (PT-PE), líder do Partido dos Trabalhadores no Senado Federal, a propósito do pedido do defensor da presidente, o ex-advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, para inclusão no processo da transcrição daquelas gravações.

Em entrevista à Sputnik Brasil, o Senador Humberto Costa afirmou que “o golpe contra a presidente da República está cada vez mais nítido” e que “as chamadas pedaladas fiscais foram um mero pretexto para tirá-la do comando do Governo”.

Para Humberto Costa, tudo que está vindo a público com a revelação das gravações feitas por Sérgio Machado “renova as esperanças em uma possível reversão de expectativa pelo resultado do julgamento do processo de impeachment da presidente da República”.   

“Nosso entendimento é de que o Governo interino e seus apoiadores no Senado Federal não querem que a verdade venha à tona e que haja o reconhecimento claro de que não houve uma justa causa para que houvesse esse processo de impeachment instalado. Ou seja, não somente as atitudes do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, como também as articulações políticas relatadas pelo Senador Romero Jucá demonstram claramente que foi um processo político com o objetivo de afastar o PT do Governo e fazer com que as mesmas forças que durante anos governaram o Brasil pudessem voltar e aplicar um programa totalmente antipopular ao nosso país.”

Reunião da Comissão Processante do Impeachment no Senado - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Raimundo Lira rejeita questões de ordem da defesa de Dilma na Comissão de Impeachment

Em relação à decisão do relator Antônio Anastasia – se prejudica o direito de defesa da Presidente Dilma Rousseff –, o Senador Humberto Costa garante que sim, “porque não somente ele [Anastasia] rejeitou a inclusão dessas gravações como não aquiesceu a vários ofícios e requerimentos que nós apresentamos, solicitando perícias, produção de provas. Além do mais, ele decidiu reduzir o período em que a Comissão vai trabalhar, quando reduziu o prazo para as alegações finais da defesa e da acusação”.

O Senador Humberto Costa acrescenta:

“Está cada vez mais claro que se trata de um processo cujo objetivo é apear do poder uma presidente eleita pelo povo e colocar em seu lugar alguém sem qualquer legitimidade.”

Finalmente, a respeito da rejeição à proposta de realização de uma auditoria econômica, financeira e contábil feita por uma consultoria internacional nas contas da Presidente Dilma Rousseff, o senador diz que esse foi mais um pedido da defesa e que Antônio Anastasia rejeitou de pronto:

“É mais uma demonstração de que não há nenhuma preocupação de se buscar a verdade. É apenas se fazer esse processo andar e consumar o golpe.”

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала