Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Kremlin: Rússia adota postura responsável na Síria e chama outros a fazê-lo também

© Sputnik / Vladimir Sergeev / Abrir o banco de imagensLua no fundo da Torre Spasskaya de Kremlin de Moscou
Lua no fundo da Torre Spasskaya de Kremlin de Moscou - Sputnik Brasil
Nos siga no
O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a Rússia adotou uma postura responsável na Síria para não afetar a paz frágil no país, chamando outras partes envolvidas a agir do mesmo jeito.

“Todos sabem que a Rússia e as Forças Aeroespaciais russas na Síria adotaram uma postura extremamente responsável, com vistas de não afetar o atmosfera frágil da trégua”.

“A Rússia tem manifestado muitas vezes a sua posição e chama outros países para aderirem a esta abordagem responsável e delicada”, disse Peskov durante a coletiva desta sexta (6), comentando as informações divulgadas pela mídia sobre o eventual prejuízo do processo pacífico de negociações por causa do recente ataque aéreo no país, alegadamente da Força Aeroespacial russa.

Especialista mostra a jornalistas as roupas especiais utilizadas durante a neutralização de armas químicas - Sputnik Brasil
ONU: desarmamento químico na Síria não pode ser concluído em função da violência no país
O porta-voz de Vladimir Putin sublinhou que o Ministério da Defesa da Rússia dispõe de todas as informações sobre os voos realizados pela aviação militar russa no âmbito da operação em curso.

“Se for provado que não havia nenhum avião russo lá e que eles não operaram na região, então se trata de mais uma onda de informações falsificadas”, concluiu o estadista.

Na quinta-feira (5) vários órgãos da mídia que ficam do lado da oposição ao governo sírio publicaram a notícia sobre bombardeamento de um campo de refugiados na província Idlib, que deixou 30 mortos. Alguns meios de comunicação culpam os militares sírios e russos pelo ataque. Uma fonte no exército da República Árabe da Síria disse que nem a aviação, nem a artilharia atacou o campo de refugiados na província Idlib, tachando as acusações de infundadas. Washington também desmente que a coalizão comandada pelos EUA tenha algo a ver com o bombardeamento.

O cessar-fogo negociado por Rússia e Estados Unidos entrou em vigor na Síria em 27 de fevereiro. A trégua teve o apoio do governo sírio e de dezenas de grupos de oposição, porém não contempla os grupos terroristas Daesh e Frente al-Nusra.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала