'Europa não tem alternativa ao gás russo'

© AFP 2022 / ANDREJ ISAKOVICPartes do gasoduto South Stream (Corrente do Sul) no local onde foi iniciada a construção do gasoduto, Sérvia, 11 de julho de 2014
Partes do gasoduto South Stream (Corrente do Sul) no local onde foi iniciada a construção do gasoduto, Sérvia, 11 de julho de 2014 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Sérvia, ao comprar o gás russo, paga 39% menos do que se comprasse a outro fornecedor, disse em uma entrevista Dusan Bajatovic, presidente da empresa estatal de gás Srbijagas. Ele também manifestou esperança de que o projeto do gasoduto South Stream (Corrente do Sul) seja retomado.

Em entrevista ao jornal sérvio Danas, Dusan Bajatovic desfez o mito de que a Gazprom não dá facilidades ao seu parceiro estratégico.

“Isto é a mentira escandalosa… a Sérvia paga $138 por cada mil metros cúbicos de gás da Rússia”, disse Bajatovic.

Isto é 39% menos do que os $192 que a Sérvia pagaria pela mesma quantidade de gás a um fornecedor austríaco. No ano passado, a Sérvia gastou 465 milhões euros com o gás russo, comparando com os 647 milhões que pagaria de acordo com a tarifa austríaca.

Partes do South Stream (Corrente do Sul) no local onde foi iniciada a construção do gasoduto, Sérvia, 11 de julho de 2014 - Sputnik Brasil
South Stream: sonho da Bulgária e pesadelo da União Europeia
Respondendo uma pergunta o que pode acontecer caso Gazprom deixe de fazer o trânsito de gás via Ucrânia, Dusan Bajatovic disse que, neste caso, a Sérvia passaria a usar os gasodutos Nord Stream 1 (Corrente do Norte 1) e Nord Stream 2 (Corrente do Norte 2).

“Estamos negociando com a Rússia sobre o possível fornecimento via Hungria, mas, neste caso, o preço de trânsito será mais alto. Por isso, tentamos, conjuntamente com o nosso parceiro Gazprom, encontrar caminhos alternativos. Além disso, planejamos aderir a um gasoduto de gás liquefeito que a Gazprom está construindo para a Grécia via Hungria. Quero eu dizer que não há alternativa ao gás russo no que tange à quantidade e à rentabilidade do fornecimento”, adicionou ele.

Gasoduto em Beregdaroc, Hungria, um dos pontos de passagem do gás russo à UE - Sputnik Brasil
Gazprom nega querer uma 'guerra de preços' no mercado de gás europeu
Dusan Bajatovic também sublinhou que, com o declínio da produção de gás na Europa, o projeto South Stream poderá finalmente ser reativado.

“Por volta de 2035 a Europa precisará mais 150 bilhões de metros cúbicos de gás, o que equivale à exportação russa de hoje. Espero que as considerações económicas finalmente se imponham e não passe muito tempo até o projeto South Stream fornecer a gás à Europa”, disse Dusan Bajatovic em conclusão.

Em fim de 2014, Moscou anunciou o cancelamento do South Stream, gasoduto que deveria travessar o Mar Negro e chegar à Itália e Áustria via Bulgária, Hungria, Sérvia e Eslovênia. Nessa altura foram avançados planos de substituir o South Stream pelo Turkish Stream.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала