Presidente do Senado do México apresenta proposta para pôr fim à guerra contra drogas

Nos siga noTelegram
O presidente do Senado do México, Roberto Gil, apresentou ao Congresso do país uma iniciativa de lei para regular o consumo de maconha diante do fracasso da guerra global contra as drogas.

“A guerra global contra as drogas fracassou; se tivesse sido eficaz, o consumo teria sido reduzido ao longo do últimos século”, diz a proposta. 

Joaquín Guzmán, “El Chapo”, quando foi preso em fevereiro de 2014. - Sputnik Brasil
México captura chefão do tráfico Joaquin Guzman, o 'El Chapo'
Segundo a iniciativa do chefe do Senado mexicano, “se essa guerra encabeçada pelos EUA tivesse êxito, no continente não haveria organizações criminais com alto poder econômico, capacidade de fogo e poder corruptor; nem regiões inteiras do país estariam devastadas pela violência”. 

A proposta do líder dos congressistas mexicanos aponta diretamente para Washington: "É uma guerra que começou no outro lado da fronteira, nos Estados Unidos, que custou a vida e a tranquilidade de milhares de mexicanos, mais de 100 mil mortos e 26 mil desaparecidos desde 2008”.  

Além disso, o projecto de Gil afirma que é "uma guerra que surgiu a partir de preconceito racial e o estigma continua a ser um fardo pesado para as pessoas mais vulneráveis, especialmente os jovens". 

“Se a guerra global contra as drogas tivesse sido socialmente útil, nós simplesmente não estaríamos enfrentando a necessidade de discutir e encontrar maneiras de abordar o problema da oferta e, especialmente, a demanda de drogas", diz a proposta. 

O projeto de lei visa permitir o cultivo doméstico de até seis plantas de maconha para uso estritamente pessoal, para afastar os consumidores do mercado negro; descriminalizar os consumidores; e autorizar usos médicos e terapêuticos da cannabis.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала