Mídia: Obama não quer se encontrar com Erdogan em Washington

© AFP 2022 / YASIN BULBUL / POOLPresidente norte-americano Barack Obama fala com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan durante o encontro bilateral nas margems da cúpula do G20 em Antália, Turquia, 15 de novembro de 2015
Presidente norte-americano Barack Obama fala com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan durante o encontro bilateral nas margems da cúpula do G20 em Antália, Turquia, 15 de novembro de 2015 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente norte-americano Barack Obama recusou-se a realizar um encontro pessoal com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, que visitará os EUA nos dias mais próximos, informou o jornal norte-americano The Wall Street Journal.

Documento com dados sobre a venda de petróleo do Daesh em toneladas, produzido no campo petrolífero de Kabiba, al-Shadaddi, Síria, março de 2016 - Sputnik Brasil
Documentos do Daesh confirmam envolvimento direto da Turquia em atividades terroristas
Erdogan queria encontrar-se com o presidente norte-americano durante a cerimônia de inauguração de uma mesquita no estado de Maryland, cuja construção foi financiada pela Turquia. Entretanto, o serviço de imprensa de Obama disse que o encontro pessoal entre os dois líderes não se justifica.

“A decisão de não realizar um encontro com Erdogan durante a sua visita a Washington não pode ser considerada como menosprezo, porque os dois presidentes realizaram uma reunião na cúpula do G20 na Turquia e tiveram uma conversa telefónica em fevereiro”, indica um comunicado da Casa Branca citado pelo The Wall Street Journal.

© Sputnik / Vitaly PodvitskiEntrada proibida a estranhos
Entrada proibida a estranhos - Sputnik Brasil
Entrada proibida a estranhos

Um miliciano das forças de autodefesa dos curdos iraquianos, peshmerga, volta à sua base. Foto de arquivo. - Sputnik Brasil
Exército turco mata 23 militantes do PKK em 24 horas
Segundo o The Wall Street Journal, durante a última visita do presidente turco em 2013, Obama falou pessoalmente com ele. Na opinião de especialistas, a atual recusa não significa nada de bom para o presidente turco. “A Casa Branca quer mostrar que Erdogan não é mais um hóspede desejável”, destacou Max Hoffman, vice-diretor para a segurança nacional e política internacional do The Center for American Progress. Ele sublinhou que o autoritarismo crescente de Erdogan e a sua política dura em relação aos curdos não podiam deixar de influir nas relações entre os dois países.

Ao mesmo tempo, o gabinete do presidente turco não confirmou as informações sobre a não realização do encontro com o homôlogo norte-americano.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала