Chancelaria da Rússia explica caráter 'repentino' da retirada de forças da Síria

© Sputnik / Mikhail VoskresenskyRepresentante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova
Representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A porta-voz oficial do ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, publicou em sua página no Facebook uma breve explicação de o porquê a decisão de Moscou em retirar suas forças da Síria foi anunciada de maneira tão inesperada.

Em sua página na rede social, a diplomata transcreveu uma conversa sua com um conhecido para ilustrar os motivos para o governo russo ter optado por anunciar a retirara sem aviso prévio.

 

Ele [conhecido]: Você sabe o porquê de as tropas terem sido retiradas de forma tão repentina da Síria?

Eu [Zakharova]: Foi dito desde o início que a operação seria temporária, que não duraria muito.

(…)

Ele: Mas foi muito de repente. Pegaram, e tiraram.

Eu: Imagina o que teria acontecido se, lá pelo dia 10 de março, o locutor tivesse anunciado: ‘Daqui a quatro dias será feito um anúncio importante sobre a presença das forças armadas russas no estrangeiro. Não há motivos para pânico – tudo está correndo conforme o planejado. Avisamos com antecedência para evitar um sentimento de supresa. Preparem-se’” – escreveu Zakharova.

 

Ela lembrou ainda que, além do caráter temporário da missão, motivos como o bem-sucedido cessar-fogo, a diminuição de conflitos e o início de um processo de negociações pela paz contribuíram para a retirada de forças da Síria. Além disso, a porta-voz destacou que a decisão do governo russo não sofreu qualquer pressão por parte do estrangeiro.

Barack Obama, presidente dos Estados Unidos (EUA) - Sputnik Brasil
Washington: retirada russa da Síria surpreendeu a todos
A retirada das forças russas da Síria foi taxada de “repentina” por uma série de mídias e autoridades dos EUA e de países europeus. Em particular, o departamento de Estado declarou que a decisão foi uma surpresa “para todos”, incluindo para o secretário de Estado John Kerry.

A operação militar na Síria foi iniciada no final de setembro de 2015 e durou cinco meses. Durante a campanha as Forças Aeroespaciais russas realizaram mais de nove mil missões, destruindo centenas de alvos do grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico). O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou que as tropas fossem retiradas do país árabe a partir da terça-feira (15).

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала