Donetsk: Exército ucraniano deu ordem de usar armas pesadas na zona de Yasinovataya

© REUTERS / Igor TkachenkoVice-chefe das tropas de autodefesa da RPD, Eduard Basurin, inspeciona edifício bombardeado em Donetsk
Vice-chefe das tropas de autodefesa da RPD, Eduard Basurin, inspeciona edifício bombardeado em Donetsk - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O comando do Exército ucraniano, após anteriores tentativas mal sucedidas de avançar até ao posto de controle de Yasinovataya, ordenou o uso de artilharia pesada, disse neste sábado (12) o vice-comandante do Corpo do Ministério da Defesa da autoproclamada República Popular de Donetsk, Eduard Basurin.

"De acordo com os dados obtidos, foi colocado o objetivo à parte ucraniana de ocupar a rodovia de Yasinovataya. Neste contexto, o comando das Forças Armadas da Ucrânia autorizou abrir fogo massivo de artilharia em toda a área, mesmo que este viesse a atingir os bairros residenciais de Yasinovataya e o subúrbio norte de Donetsk", afirmou Eduard Basurin, citado pela Agência de Notícias de Donetsk.

Ele especificou que os dados acima indicados haviam sido recebidos no dia anterior.

Atirador ucraniano marca posição próximo à região de Donetsk, na Ucrânia - Sputnik Brasil
Forças ucranianas dispararam 400 vezes contra Donetsk em 24h
Anteriormente, foi relatado que, na sexta-feira (11) à tarde, os militares ucranianos fizeram mais uma tentativa de avançar na área do posto de controle de Yasinovataya, que está localizado na rota de transporte estratégica que liga Donetsk e Gorlovka. Segundo a fonte da Agência de Notícias de Donetsk, foram disparadas 55 granadas de morteiro contra as posições da autoproclamada República Popular de Donetsk. À noite, também de acordo com a agência, o Exército ucraniano disparou artilharia pesada contra o posto de controle.

Em abril de 2014, Kiev iniciou uma operação militar nas províncias de Donetsk e Lugansk para apagar os focos de insatisfação com a mudança violenta de poder no país, ocorrida em fevereiro do mesmo ano.

As hostilidades deixaram mais de nove mil mortos e 20.700 feridos, segundo números da ONU.

Secretário do Conselho de Segurança e Defesa Nacional da Ucrânia, Alexander Turchinov (esquerda) - Sputnik Brasil
Ucrânia acredita que derrotará Rússia em caso de conflito
A questão da solução do conflito está sendo discutida, inclusive no âmbito dos encontros do grupo de contato em Minsk que desde setembro de 2014 já aprovou três documentos que regulamentam os passos de diminuição da tensão, inclusive a trégua. Porém, os dois lados do conflito denunciam violações regularmente.

O último documento – de 12 de fevereiro – prevê um cessar-fogo total no leste da Ucrânia, retirada de armas pesadas da linha de contato e criação de uma zona de segurança, assim como uma reforma constitucional com a entrada em vigor até o final do ano de 2015 de uma nova Constituição, com a descentralização como elemento-chave (tendo em conta as particularidades das regiões de Donetsk e Lugansk, acordadas com os representantes destas áreas), e também a aceitação de uma legislação sobre o estatuto de Donetsk e Lugansk.

Os dois lados não conseguiram cumprir os acordos até o final de 2015, segundo foi previsto inicialmente. Então, o prazo de realização dos acordos foi prolongado para 2016.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала