Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Rússia: Anistia Internacional reflete violações de direitos humanos nos EUA e Turquia

© AP Photo / Osamu HondaKonstantin Dolgov, comissário da chancelaria russa para Direitos Humanos, Democracia e Estado de Direito
Konstantin Dolgov, comissário da chancelaria russa para Direitos Humanos, Democracia e Estado de Direito - Sputnik Brasil
Nos siga no
O relatório da Anistia Internacional reflete os problemas sistêmicos atuais dos Estados Unidos e a deterioração da situação dos direitos humanos na Turquia. Quem afirma é o comissário do Ministério das Relações Exteriores para os Direitos Humanos, Konstantin Dolgov, ao comentar o recente relatório divulgado pela organização.

Prisão de Guantánamo - Sputnik Brasil
Senador dos EUA joga no lixo plano de Obama para Guantánamo (VÍDEO)
O relatório da Anistia Internacional reflete os problemas sistêmicos atuais dos Estados Unidos e a deterioração da situação dos direitos humanos na Turquia. Quem afirma é o comissário do Ministério das Relações Exteriores para os Direitos Humanos, Konstantin Dolgov, ao comentar o recente relatório divulgado pela organização.

"O relatório reflecte novamente os problemas sistémicos nos Estados Unidos: a prisão de Guantánamo continua operando; a pena de morte não foi abolida; executores de torturas horríveis dentro do programa de detenções ilegais da CIA e a polícia dos EUA que usa armas contra cidadãos desarmados", disse Dolgov.

"Foi ressaltado também que os EUA aceitou três terços das recomendações de 343 casos tornados públicos pela mais recente Revisão Periódica Universal do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas no que diz respeito aos EUA", disse ele.

Além disso, Dolgov disse que o "relatório registra uma deterioração visível da situação dos direitos humanos na Turquia, com a degradação contínua da liberdade de expressão e liberdade de manifestações pacíficas".

"Os casos de abuso de poder e tratamento brutal pela polícia têm aumentado, juntamente com uma menor independência do poder judicial", disse o diplomata.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала