Voluntário morre em testes de medicamento português para doenças neurológicas

© AFP 2022 / LOIC VENANCELogotipo do laboratório Bial no seu edifício em Rennes, França
Logotipo do laboratório Bial no seu edifício em Rennes, França - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Um dos ensaios clínicos para testar uma nova molécula do laboratório português Bial, destinada a combater a dor e a ansiedade, resultou na morte de um dos voluntários, informou o jornal francês Le Figaro.

Esta molécula denomina-se BIA 10-2474 e foi desenvolvida pela empresa portuguesa Bial. O produto pretende tratar os problemas de humor dos doentes afetados pela doença de Parkinson. A BIA 10-2474 é produzida sinteticamente e age sobre os recetores cannabinóides. Estes influenciam o apetite, a sensação de dor, o humor e a memória.

Vacina. - Sputnik Brasil
Putin: Rússia registrou a mais eficiente vacina contra Ebola produzida até o momento
O novo medicamento já havia sido testado em 108 voluntários, não tendo existido efeitos adversos.

Nos últimos ensaios clínicos, que se realizaram em Rennes, França, seis voluntários tiveram que ser hospitalizados. Um dos voluntários ficou em morte cerebral, tendo morrido neste domingo (17). Cinco outros sofrem de lesões neurológicas e continuam no hospital. Segundo o comunicado do hospital universitário de Rennes, “o estado de saúde de outros cinco voluntários permanece estável”, informou o jornal Público.

Também no domingo se tornou público que todos os voluntários que ficaram doentes receberão uma indenização.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала