Música sem fronteiras: DJ imigrante tenta afastar os jovens do Daesh

© AFP 2022 / JOSEP LAGOMãos do DJ que "toca" uma composição musical
Mãos do DJ que toca uma composição musical - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em entrevista à Sputnik Radio, um imigrante de 31 anos, Noor Matti, que passou 15 anos nos EUA, contou sobre o seu retorno para a sua terra natal depois de ter cursado a Escola Superior de Detroit.

Um violoncelo - Sputnik Brasil
Músicos russos tocam música 'no limiar do possível'
Agora Matti reside em Erbil, região do Curdistão, que, segundo ele, é muito diferente do resto do Iraque, onde vastas áreas ainda estão sob o controle do Daesh.

“Não temos tido muita violência aqui, antes houve um grande desenvolvimento econômico“, disse.

Segundo Matti, a região do Curdistão no Iraque tem mais problemas econômicos do que os causados pelo Daesh.

O DJ está orgulhoso de a segunda língua oficial na região de Curdistão já não ser o árabe mas o inglês, acrescentando que a geração jovem da região está aberta para aceitar a cultura dos países ocidentais e a música em inglês. Matti afirmou que as meninas locais gostam da banda musical britânica One Direction, tal como as outras meninas do mundo.

Cantor alemão Xavier Naidoo, Echo Music Awards, Berlim, 25 de março de 2015 - Sputnik Brasil
Quem canta? 'Antissemita' representará Alemanha em concurso de música
Matti realiza shows musicais em inglês, nos quais ensina e informa sobre as ameaças de grupos extremistas como o Daesh. O DJ afirmou que o seu show ajuda aos locais a aprender inglês e compartilhar a sua visão da situação na região.

“Temos bastantes ouvintes. Com certeza, temos migrantes de todo o mundo, temos jovens locais que são mais modernos, mais abertos a tudo o que é novo”, disse Matti.

O seu show é ouvido por cerca de 15 mil pessoas todos os dias. O segredo da popularidade do seu show, na opinião do DJ, é que não é político, não é sobre guerra, isso atraiu as pessoas, que estão cansadas de ouvir sobre o Daesh.

“Vivemos numa sociedade onde todos falam sobre o Daesh 24 horas”, disse. “As pessoas gostam de nós porque elas estão cansadas de ouvir falar sobre o Daesh todos os dias, estão mergulhadas em notícias terríveis e foi fácil atrair as pessoas e convencê-las ‘então, querem distrair-se da política por um minuto e gozar ouvindo música legal?”

Posição do Daesh após ataque aéreo da coalizão internacional - Sputnik Brasil
Coalizão internacional bombardeia depósito de dinheiro do Daesh no Iraque
Segundo o DJ, os músicos locais estão sempre inspirados para tocar no seu show. “Oferecemos gravar a sua música grátis e, se achamos que é bastante boa para o rádio, eles tocam-na e promovemo-la”, destacou.

O pessoal que está envolvido no show faz todo o possível para promover a música curda em todo o mundo. “Tentamos difundir a música local internacionalmente em outras culturas, outras comunidades”, disse o DJ.

Matti pensa que a música boa ajudará a geração jovem a crescer fora da ameaça do Daesh e outros extremistas e fundamentalistas religiosos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала