Lavrov: coalizão internacional liderada pelos EUA é arrogante

© Sputnik / Ilya Pitalev / Abrir o banco de imagensMinistro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov
Ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Muitos membros da coalizão internacional liderada pelos EUA queriam resolver a crise síria com a ajuda do Conselho de Segurança da ONU mas os EUA impõem as suas regras aos outros, disse o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov.

“O fator que não contribui para a resolução do conflito consiste em que os EUA percebem a si próprios como uma nação excepcional.  <…> Pensam que são capazes de convencer os outros. A coalizão para a Síria foi formada por eles, é absolutamente seu conceito. Muitos membros desta coalizão inclusive membros europeus da OTAN queriam ir para o Conselho de Segurança e forma-la de modo correto. Mas os EUA disseram ‘não’, Assad não tem legitimidade, não podem ser quaisquer acordos”, disse Lavrov em entrevista ao canal televisivo russo Zvezda.

Representante permanente da Rússia na ONU, Vitaly Churkin - Sputnik Brasil
Ataques da coalizão internacional contra forças do governo sírio podem repetir-se
Segundo o chanceler russo, a coalizão internacional liderada pelos EUA tem uma outra atitude ao Iraque ao invés da Síria. Lavrov disse os EUA e os seus aliados “amam” o Iraque porque pediu a ajuda da coalizão. Mas a Síria é uma ditadura os dias da qual são contados por isso podem bombardeá-la: esses são, pelos vistos, os motivos dos EUA, segundo Lavrov.

“Se a coalizão liderada pelos EUA não tivesse esta atitude arrogante que consiste em que na Síria [os EUA] sabem onde estão terroristas e sabem quem deve ser bombardeado e por isso não precisam de nenhuma autorização do governo, penso que a Turquia não procedia de maneira tão insolente e sincera em relação ao Iraque”, destacou o chefe da diplomacia russa.

U.S. Secretary of State John Kerry poses with Russian Foreign Minister Sergey Lavrov at the United Nations headquarters in Manhattan, New York September 30, 2015. - Sputnik Brasil
Lavrov e Kerry discutem resolução do conflito sírio
Segundo os dados das autoridades iraquianas, no dia 4 de dezembro militares turcos e veículos militares blindados entraram na província iraquiana de Nínive, sob o pretexto de realizar treinamento de batalhões que lutam contra os terroristas.

O Ministério das Relações Exteriores do Iraque e o Ministério da Defesa chamaram a presença dos militares de "ação hostil" turca, que não foi acordada com as autoridades do país, alegando uma violação da soberania.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала