Aviação russa realizou 5.240 missões na Síria desde início da operação

Nos siga noTelegram
A Força Aeroespacial realizou 5.240 voos de combate na Síria desde o início da operação antiterrorista em 30 de setembro, disse o Ministério da Defesa nesta sexta-feira (25).

“Desde 30 de setembro a aviação russa conduziu 5.240 missões na Síria, inclusive 145 missões da aviação de longo alcance”, informou tenente-general Sergei Rudskoy, chefe da Direção Operacional Geral do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.

Caça russo Su-24 - Sputnik Brasil
Força Aeroespacial russa realizou 302 missões na Síria em menos de uma semana
Rudskoy acrescentou que os aviões militares russos realizam ataques aéreos de cada dia contra a infraestrutura terrorista, postos de comando, equipamento militar e os próprios terroristas que pertencem aos grupos militantes como, por exemplo, o Daesh e a Frente al-Nusra.

Na quinta-feira (24) a aviação da Rússia atingiu 189 objetos de terroristas na Síria, informou o militar de alta patente russo.

“Só ontem realizamos 189 ataques contra bastiões de terroristas, dos quais 142 foram planejados”, sublinhou.

Além disso, prosseguiu o militar, as forças governamentais sírias conseguiram, com a ajuda russa, libertar cinco zonas povoadas na província de Aleppo. A zona de segurança na área do aeroporto de Kuweyres, também foi ampliada.

Ofensivas do exército sírio

As forças sírias com apoio aéreo russo apertam o cerco de grupos armados ilegais nos subúrbios de Damasco, disse o tenente-general Rudskoy.

“Nos subúrbios de Damasco as forças governamentais [sírias] tomaram controle da aldeia de Marj al-Sultan e continuam os seus raides apertando o cerco de grupos armados ilegais nas áreas de Nachabe, Nula e Zibdin”, informou Rudskoy.

Além disso, segundo o oficial, em outras áreas as forças sírias tomam medidas para estabilizar a situação e preparam a continuação das suas ofensivas.  

Contrabando de petróleo

A inteligência russa reparou quase 12 mil caminhões-tanque na fronteira turco-iraquiana, perto do posto de controle de Zakho, informou o chefe da Direção Operacional Geral do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.

“Na altura de filmagem [de reconhecimento] na área de Zakho havia lá 11.775 caminhões-tanque a cada lado da fronteira turco-iraquiana. 4.530 deles estavam no território turco, 7.245 estavam no Iraque”, disse Rudskoy. 

“Devo sublinhar que o petróleo extraído no Iraque, assim como na Síria, vai através deste posto de controle [na fronteira turco-iraquiana]”, acrescentou.

A aviação russa também destruiu 37 instalações terroristas de extração de petróleo, 17 caminhões-tanque durante a semana passada, segundo Rudskoy.

“Os roteiros do norte e do oeste que tinham sido anteriormente revelados permanecem a ser usados. Para evitar perdas causados pela aviação russa, os terroristas movem [os comboios petrolíferos] principalmente à noite. Além disso, os seus caminhões-tanque são disfarçados como caminhões normais e movem em colunas pequenas em algumas dezenas de veículos ao mesmo tempo”, informou. 

Além disso, as Forças Armadas revelaram um novo roteiro de contrabando de petróleo pelo Daesh: em primeiro lugar os caminhões tomam o roteiro mais curto ao Iraque e de lá vão à Turquia. Os terroristas mudam a tática para evitar os ataques aéreos russos.

Segundo ele, o roteiro liga a área síria de Deir ez-Zor ocupada pelo Daesh através das cidades fronteiriças às cidades iraquianas de Mossul e Zakho.

Porém, apesar do desvio, a Turquia permanece como a destinação final no esquema de contrabando, sublinhou Rudskoy.

O número de caminhões-cisterna perto do porto de Dortyol na Turquia, para onde o petróleo do Daesh é alegadamente fornecido, cresceu até 920, informou o militar russo.

Reconhecimento 

Os militares russos recebem informação sobre as instalações terroristas dos comandantes do exército sírio e unidades da oposição patriótica, frisou Rudskoy.

“Estamos no contato permanente com o comando das forças governamentais da Síria e com unidades da oposição patriótica. Eles proporcionam regularmente informação adicional sobre os alvos terroristas recentemente descobertos”, acrescentou ele sublinhando que os ataques aéreos são efetuados somente após reconhecimento ulterior.

Refugiados sírios estão à espera de transporte após atravessar a fronteira com a Turquia da cidade síria Tal Abyad, em 10 de junho de 2015 - Sputnik Brasil
Anistia Internacional: União Europeia pode ser cúmplice das violações da Turquia
O Ministério da Defesa da Rússia criou um sistema de vários níveis de colheita de dados de inteligência para garantir identificação confiável de alvos terroristas, explicou à jornalistas nesta sexta-feira (25) o chefe da Direção Operacional Geral do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.

Anteriormente, a Anistia Internacional publicou um relatório sobre a operação aérea russa na Síria no qual acusa a aviação da Rússia em causar perdas civis na sequência de bombardeamento de objetos não militares. Rudskoy comentando o relatório, disse que ele consiste de clichés e fakes e que a aproximação do grupo de defesa de direitos humanos é tendenciosa já que a Anistia Internacional publicou informação não verificada sobre a atividade da Força Aeroespacial da Rússia na Síria.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала