OTAN não descarta que possa ter bombardeado hospital no Afeganistão

© AFP 2022 / NAJIM RAHIMPolícia afegã patrulha a cidade de Kunduz após combates
Polícia afegã patrulha a cidade de Kunduz após combates - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A OTAN não descarta a possibilidade de que um hospital da organização Médicos Sem Fronteiras na cidade afegã de Kunduz tenha sido bombardeado pela força aérea dos Estados Unidos.

Um hospital dos Médicos Sem Fronteiras (MSF) na cidade afegã de Kunduz foi bombardeado na manhã de sábado (3), levando à morte de pelo menos três pessoas, com dezenas de desaparecidos, disse a agência de ajuda internacional.

Havia cerca de 200 pessoas no edifício do hospital quando foi bombardeado, segundo a MSF.

Ataques aéreos na Síria - Sputnik Brasil
Mídia norte-americana: Obama ‘terminou’ duas guerras mas continua lançando bombas
A OTAN disse em um comunicado que as forças norte-americanas realizaram um ataque aéreo em Kunduz sensivelmente à mesma hora – um pouco depois de 2:00 no sábado (horário local).

A equipe médica está trabalhando o tempo todo para fazer todo o possível para a segurança dos pacientes e dos funcionários do hospital.

"Estamos profundamente chocados com o ataque, a morte de nossos funcionários e pacientes", disse Bart Janssens, Diretor de Operações da MSF.

"Nós ainda não temos os números finais de mortes, mas a nossa equipe médica está fornecendo os primeiros socorros e trata os pacientes o pessoal da MSF feridos e estabelece o número de falecidos. Apelamos a todas as partes a respeitar a segurança das instalações de saúde e seu pessoal."

De acordo com a MSF, no momento do ataque aéreo estavam no hospital 105 pacientes e seus parentes e mais de 80 funcionários internacionais e nacionais da MSF.

O hospital da MSF é a única instalação de seu tipo no Nordeste do Afeganistão.

Kunduz, uma cidade de 300 mil pessoas no norte do Afeganistão, foi recapturada pelas forças governamentais afegãs na quinta-feira (30). A cidade havia sido cercada pelos militantes do Talibã em maio.

A situação é instável no Afeganistão desde há uma década e meia, quando, em 2001, a OTAN (junto com os EUA) interferiu na guerra civil. Em 2015, houve vários anúncios de retirada do contingente militar dos EUA e da OTAN. Recentemente a pasta da Defesa estadunidense mostrou vacilação sobre se as tropas americanas permanecem ou abandonam o país.

O movimento militar Talibã lançou uma ofensiva de grande escala no Afeganistão em abril, apesar das tentativas contínuas das autoridades do país de efetuar negociações de paz.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала