Papa Francisco receberá famílias dos 43 estudantes desaparecidos do México

© REUTERS / Jorge Dan Lopez Pictures of some of the 43 trainee teachers who disappeared four months ago in Mexico
Pictures of some of the 43 trainee teachers who disappeared four months ago in Mexico - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Papa Francisco receberá as famílias dos 43 estudantes desaparecidos na escola de magistério rural de Ayotzinapa, vítimas da repressão policial a um protesto em Guerrero, sul do México, em setembro de 2014. O encontro será realizado durante a próxima turnê do Papa aos Estados Unidos.

O pontífice receberá as famílias dos jovens mortos durante uma escala na Filadélfia. A informação foi divulgada pelo representante dos familiares, Emilio Navarrete, diante de centenas de manifestantes na praça principal da Cidade do México, o Zócalo, em frente ao Palácio Nacional. 

Agente da patrulha de fronteira dos EUA perto do limite entre Tijuana (México) e San Ysidro (Califórnia) - Sputnik Brasil
Confronto entre policiais e gangue no México deixa pelo menos 45 mortos
Convidados pela Rede de Migrantes Unidos do México, as famílias assistirão o Encontro Mundial da Família Filadelfia 2015, que será realizada em 26 e 27 de setembro. 

O encontro com o Papa faz farte da “Jornada Global por Ayotzinapa”, que tem percorrido várias cidades do México, Europa e América Latina, inclusive no Brasil, por onde passou em junho deste ano com o slogan “Vivos os levaram, vivos os queremos: o desaparecimento de 43 estudantes de Ayotzinapa – México”. 

O pai do jovem desaparecido Jose Angel Navarrete reiterou o pedido dos pais ao governo do presidente Enrique Peña para "estender o mandato do grupo internacional de peritos independentes" da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) para rever a investigação federal do caso Ayotzinapa.

Este grupo de peritos, conhecido pelas investigações de massacres na Guatemala, Espanha, Chile e Argentina durante ditaduras e guerras civis, vai entregar seu relatório final em 6 de setembro, no final de seu mandato de seis meses, mas criticou a falta de colaboração federal e manipulação das provas.

México - Sputnik Brasil
Polícia mexicana encontra 61 corpos em crematório abandonado
"Em 11 meses não vimos uma pessoa que mantêm a sua palavra no governo", reclamou o pai, lembrando que no domingo de 15 agosto, houve uma reunião com o secretário de Governo, Angel Osorio, que prometeu prorrogar o mandato da Comissão, mas ainda sem torná-lo oficial.

Agricultores de origem indígena em uma área devastada pelo narcotráfico, os pais dos jovens acusam as autoridades de não investigar a cadeia de comando das autoridades envolvidas no massacre, especialmente o papel de uma unidade militar do exército em Iguala, 220 km ao sul, onde ocorre a tragédia.

De acordo com a investigação federal, os jovens foram massacrados por pistoleiros em conluio com a polícia e autoridades municipais, e os restos de seus corpos queimados em uma lata de lixo foram jogados em um rio; mas apenas um estudante foi identificado a partir de alguns despojos resgatados por estudos de DNA na Áustria.

As autoridades mexicanas impediram que os peritos da Comissão questionassem os militares ativos durante a noite de 26 de setembro em Iguala.


Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала