Luta contra EI durará décadas, diz chefe do Exército americano

© REUTERS / Alaa Al-MarjaniForças iraquianas e milicianos xiitas com bandeira do Estado Islâmico em Tikrit, 31 de março de 2015
Forças iraquianas e milicianos xiitas com bandeira do Estado Islâmico em Tikrit, 31 de março de 2015 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Principal oficial do Exército americano diz acreditar que a luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico vai durar de "10 a 20 anos."

Combatentes do Estado Islâmico (EI). - Sputnik Brasil
Estado Islâmico paga 20 mil euros a famílias espanholas
"Para mim, o Estado Islâmico é um problema de 10 a 20 anos, não é um problema de dois anos", disse o general Ray Odierno, chefe do Exército americano. "Não sei em que nível será um problema, mas será um problema de longo prazo."

A Casa Branca sempre alertou que a luta contra o EI poderia durar anos. A opinião de Odierno significa uma expansão dos prazos citados pelo governo Obama e, de longe, é o prazo mais comprido citado por um oficial do Pentágono.

"O governo disse 'três a cinco' anos. Acho que para derrotar o EI, precisaremos de mais do que isso", avaliou Odierno. "Esse movimento está crescendo agora, então acho que nos tomará mais tempo do que o que pensamos originalmente."

O chefe do Exército afirmou ainda que uma solução para enfrentar o grupo militante não pode ocorrer puramente por meios militares.

Presidente dos EUA, Barack Obama - Sputnik Brasil
Obama: para vencer Estado Islâmico é necessário remover Assad
"Derrotá-los não é uma questão militar. É uma questão econômica. É uma questão diplomática. É uma questão de moderados contra extremistas e diz respeito também, potencialmente, à capacidade de extraí-los dos lugares que ocupam hoje no Iraque e na Síria."

Odierno, que vai se aposentar em agosto, disse que devido a cortes no orçamento, o Exército "não vai conseguir fazer tudo que lhe foi solicitado."

O general repetiu o coro do governo Obama, que estabeleceu como meta ver a luta contra o Estado Islâmico sendo conduzida principalmente por forças locais em solo.

"Outros devem fazer isto. Acredito que as nações do Oriente Médio precisam resolver esse problema. Nós devemos ajudá-los a solucionar o problema."

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала