Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Obama e Merkel são unânimes na questão das sanções contra a Rússia

© REUTERS / Kevin Lamarque O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel - Sputnik Brasil
Nos siga no
O presidente norte-americano e a chanceler alemã concordaram que a duração das sanções contra a Rússia deve depender da execução por ela dos Acordos de Minsk sobre a Ucrânia, indica um comunicado da Casa Branca.

A agência Bloomberg noticiou que Barack Obama e Angela Merkel chegaram a acordo sobre o prazo das sanções antirussas.

Balões com rostos de líderes dos países-membros do G7 perto da catedral de Frauenkirche, Dresde, em 27 de maio, dia da cúpula dos ministros das Finanças e chefes dos Bancos Centrais dos G7. - Sputnik Brasil
Cúpula do G7: discussões em meio a protestos de rua
Eles reuniram-se antes da primeira reunião plenária do G7. Anteriormente foi relatado que a reunião terá lugar na cidade de Kruen, perto de castelo de Elmau, onde decorre a cimeira.
Segundo o comunicado da Casa Branca, os dois líderes também discutiram a parceria na área do comércio e investimento transatlânticos, e manifestaram a importância de trabalhar juntos em futuros acordos.

A cúpula dos líderes do G7 (Alemanha, EUA, Canadá, França, Itália, Japão e Reino Unido) realiza-se hoje e amanhã (7-8 de Junho) no castelo da cidade alemã de Elmau. A Rússia, que entrou para o G7 em 1998, foi excluída da participação no evento em 2014.

Angela Merkel, chanceler da Alemanha - Sputnik Brasil
Merkel classifica como "perda" ausência da Rússia no encontro do G7
As relações entre a Rússia e o Ocidente deterioraram-se por conta da situação na Ucrânia. Em julho do ano passado, a UE e os Estados Unidos aplicaram sanções pontuais contra certos indivíduos e empresas da Rússia. Em seguida, foram implementadas medidas restritivas em relação a setores inteiros da economia russa. Em resposta, a Rússia restringiu a importação de produtos alimentares de países que impuseram as sanções. Moscou tem afirmado repetidamente que não tem interferência no conflito interno ucraniano e possui interesse na resolução pacífica do conflito.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала