Papa e governo italiano se unem para pedir que UE dê assistência na questão dos migrantes

© REUTERS / Alessandro BianchiImigrantes esperam assistência em frente à enfermaria do centro de imigração no sul da Itália, ilha de Lampedusa.
Imigrantes esperam assistência em frente à enfermaria do centro de imigração no sul da Itália, ilha de Lampedusa. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente da Itália e o Papa Francisco se uniram para pressionar a União Europeia (UE) a ajudar mais o país devido ao crescente número de imigrantes que chegam ao país pela costa do Mediterrâneo, especialmente nos últimos dias, em barcos de contrabandistas para fugir das guerras perseguição e pobreza na Síria, Líbia e países da África.

Com sua grande popularidade e preocupação com questões sociais, a autoridade moral do Papa dá força ao pedido do presidente da Itália, Sergio Mattarella, para que a UE ajude mais o país a lidar com a questão. Desde o início de 2014, cerca de 200 mil pessoas foram resgatadas do mar pela Itália. A onda de migração da última semana, que registrou a chegada de mais de 10 mil migrantes, fez que com cidades da região da Sicília ficassem sem vagas em locais de abrigo.

Grupo de viajantes de países africanos em busca de imigração é encontrado na costa de Djerba - Sputnik Brasil
Itália salva cerca de mil imigrantes em missão de resgate
"Eu expresso minha gratidão pelo esforço que a Itália está fazendo para receber os muitos migrantes, que, arriscando suas vidas, pedem para serem resgatados", disse o Papa Francisco ao presidente da Itália. "É evidente que as proporções desse fenômeno requerem um envolvimento muito maior", comentou.

O governo da Itália afirma que irá continuar resgatando os migrantes abandonados no mar por contrabandistas, mas pede que a UE dê mais assistência no resgate e abrigo das pessoas.

Navio da guarda costeira italiana - Sputnik Brasil
Cerca de 700 imigrantes são salvos durante travessia para a Europa em barcos superlotados
"Há tempos a Itália pede que a UE faça uma intervenção decisiva para dar um fim à contínua perda de vidas no Mediterrâneo, o berço da nossa civilização", disse Mattarella. 

O comissário da UE para Migração, Dmitris Avramopoulos, afirmou que uma nova política será apresentada em maio. Enquanto isso, ele pediu para os estados membros do bloco ajudarem a lidar com a crise. 

Neste sábado, um navio chegou ao porto de Messina, na Sicília, com mais de 450 migrantes, incluindo 50 menores de idades da Etiópia, Eritreia e Síria. A polícia prendeu dois suspeitos de contrabando.

Fonte: Estadão Conteúdo

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала