Na contramão do Ocidente, China quer dominar o mercado automobilístico da Rússia

© Valentina PetrovaCarros da Great Wall em exposição no Salão Automotivo de Sófia
Carros da Great Wall em exposição no Salão Automotivo de Sófia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Contrariando a recente crise do mercado automobilístico russo e a saída de algumas grandes montadoras ocidentais do país, a maior montadora privada da China, Great Wall, confirmou a intenção de construir uma fábrica própria na Rússia.

A informação foi prestada pelo presidente da empresa Wei Jianjun, durante negociações na China com representantes da região russa de Tula.

A fábrica está sendo orçada em 300 milhões de dólares e deverá ser construída no território do parque industrial Uzlovaya, localizado cerca de 200 quilômetros ao sul de Moscou. O empreendimento será responsável por diversos processos industriais, como estampagem, soldagem, pintura e montagem, e terá uma produção anual estimada em 150 mil automóveis da marca Haval.

Haval é especializada em implementar modelos básicos de SUVs (veículo utilitário esportivo) de outras marcas da Great Wall, resultando em veículos de classes mais luxuosas. Já se sabe que a fábrica irá produzir pelo menos dois modelos de SUVs da Haval – H6 e H8, apresentados no Salão Automotivo Internacional de Moscou no ano passado.

A inauguração da fábrica na Rússia está programada para 2017. O empreendimento, no entanto, somente deverá alcançar seu potencial máximo de produção em 2020. Além dessa fábrica, no território do mesmo parque industrial deverão ser produzidas cerca de 60% das peças utilizadas na montagem dos veículos chineses.

A decisão de construir uma fábrica na Rússia pode parecer bastante estranha frente ao preocupante cenário da saída de algumas montadoras ocidentais da Rússia e o esfriamento do mercado automobilístico no país.

Os especialistas, no entanto, estão certos de que, durante o período da crise, os relativamente baratos veículos chineses terão posições privilegiadas em relação a outras marcas estrangeiras.

Assim, se as populares Ford, Chevrolet, Opel, Peugeot e Citroen já sofreram diminuição nas vendas entre 20% e 40% deste o início de 2015 na Rússia, as marcas chinesas apresentaram no mesmo período quedas pouco superiores a 2%. Essa dinâmica é explicada em grande parte pela manutenção dos preços de carros chineses, num momento em que com a forte desvalorização do rublo as demais marcas estrangeiras presentes no país encareceram seus produtos em média 16%.

Especialistas do setor acreditam que a política de fidelidade dos preços possibilitará às montadoras chinesas conquistar uma parcela significativa do mercado russo, duplicando suas vendas nos próximos anos. Pelo andar da carruagem, a chegada da fábrica da Great Wall à Rússia é apenas a ponta de iceberg desse processo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала