Turistas tiram fotos para a pintura de Leonard de Vinci, Mona Lisa, no Museu do Louvre, em Paris, França.

Italianos estão enfurecidos com Mona Lisa usando uma camisa da França após vitória na Copa

© AP Photo / Amr Nabil
Copa do Mundo 2018
URL curta
383

O que poderia parecer uma piada inocente para alguns pode se tornar um insulto para os outros. O Museu do Louvre enfureceu os italianos ao vestir a icônica Mona Lisa com uma camisa da seleção francesa.

Depois da vitória francesa contra a Croácia por 4 a 2 em uma final repleta de ação no domingo, a conta oficial do Museu do Louvre no Twitter publicou uma imagem de Mona Lisa vestida com uma camisa da seleção francesa.

A piada provocou uma série de tweets furiosos de italianos, com muitos argumentando que a pintura italiana foi usada indevidamente pelo museu.

Um usuário do Twitter chamou a Mona Lisa de "uma expressão máxima de contexto histórico e cultural do qual a França não pode se orgulhar", sendo "indignada com o uso indevido" da obra-prima italiana. Outro disse: "La Gioconda [o nome alternativo da pinturas] será SEMPRE ITALIANA. Não importa se ele [Da Vinci] a vendeu ou doou. A origem é a única coisa que importa".

Outro usuário brincou: "Quando os franceses querem mostrar algo bonito, tenha certeza de que esse 'algo' é italiano". A reação levou a conta oficial do Twitter do Louvre a twittar em italiano que a pintura havia sido vendida para o rei Francisco I da França. Os militantes italianos pedem a décadas que a França devolva a obra-prima, em exibição permanente no Louvre desde 1797.

A Mona Lisa é considerada uma das peças mais conhecidas de obras de arte pintadas no mundo. Encomendado por Leonardo da Vinci em 1503, a pintura foi vendida ao rei da França por cerca de 14kg de ouro em 1517.  Segundo o Guinness Book, a Mona Lisa é a pintura mais valiosas do mundo (avaliada em US $ 100 milhões, ou R$386,8 milhões em 1962. O valor corrigido pela inflação em 2018 seria US$800 milhões, ou R$3,09 bilhões).

Tags:
Mona Lisa, Guinness Book, Museu do Louvre, Leonardo Da Vinci, Rei Francisco I, Itália, França, Croácia
Padrões da comunidadeDiscussão
Comentar no FacebookComentar na Sputnik