O baiano Max Peixoto, à direita, encontrou um jeito de ganhar dinheiro na Rússia: virou guia turístico de brasileiros na Copa do Mundo.

Jeitinho brasileiro: baiano ganha dinheiro como guia turístico na Copa

© Foto : Divulgação / Arquivo Pessoal
Copa do Mundo 2018
URL curta
0 30

Não são só os russos que estão lucrando com a movimentação de estrangeiros durante a Copa do Mundo. Um baiano, de Salvador, aproveitou a experiência de cinco anos como morador da Rússia para atuar como guia turístico de brasileiros que foram torcer pelo hexa.

Em entrevista à Sputnik Brasil, Max Peixoto conta que, além dos jogos, os turistas ficam impressionados com a grandiosidade das construções do país.

"Todos os pontos que eu levo, a galera se surpreende. Porque a Rússia é muito imponente. Muros altos, construções gigantescas, isso impressiona muito. Eles ficam impressionados com a grandeza, com o poder que tem a Rússia. O poder de construção, de fazer coisas bacanas. Isso impressiona muito os brasileiros", ressaltou o soteropolitano.

A Catedral de São Basílio e a famosa Praça Vermelha são os locais mais procurados pelos cerca de 60 mil brasileiros que foram acompanhar o Mundial, segundo o Itamaraty.

A ideia de trabalhar como guia de brasileiros veio de uma consulta de amigos. Max conta que após o pedido de dicas de pessoas próximas veio a ideia de trabalhar com isso, enquanto o próprio aproveita a Copa do Mundo.

"Devido a eu já estar morando na Rússia, alguns amigos pessoais começaram a pedir ajuda de dicas de restaurantes, saídas e baladas. Começou um amigo, dois, três e em pouco tempo já tinha muita gente. Eles próprios deram a ideia de cobrar por isso e hoje estou muito feliz em recepcionar os brasileiros", conta o baiano, que ainda está recebendo contato de brasileiros deixaram para procurar o serviço na última hora.

Max Peixoto, à direita, junto com torcedores brasileiros na Rússia. O baiano conseguiu dar um jeitinho e trabalhar como guia turístico durante a Copa do Mundo.
© Foto : Divulgação/ Arquivo Pessoal
Max Peixoto, à direita, junto com torcedores brasileiros na Rússia. O baiano conseguiu dar um "jeitinho" e trabalhar como guia turístico durante a Copa do Mundo.

Nascido em Salvador, Max trabalhou em uma empresa que possui resorts pelo mundo e sempre gostou de trabalhar com turistas. Devido a essa boa relação, surgiu a oportunidade de trabalhar na Rússia, onde mora há cinco anos. Apesar da dificuldade inicial com o clima frio de país, ele já se considera adaptado, apesar de ainda preferir a cerveja à tradicional vodka russa.

A relação dos torcedores do hexa com os russos, segundo ele, é das melhores, devido a nossa cultura alegre e "boa praça". Questionado se ainda somos considerados favoritos pela população local, o guia disse que o empate na estreia descreditou um pouco a seleção perante os russos, mas ele está confiante no hexacampeonato. Lutando contra os recentes resultados, Max ainda torce por uma final entre Brasil e Argentina.

Após a vitória suada por 2 a 0 sobre a Costa Rica, com gols de Philippe Coutinho e Neymar na prorrogação do segundo tempo, a seleção brasileira volta a campo na próxima quarta-feira (27) em partida contra a Sérvia. O jogo, que definirá a liderança do Grupo E, acontecerá em Moscou, às 15h, horário de Brasília.

Mais:

Brasileiros na Copa da Rússia comentam vídeos desrespeitosos de conterrâneos
Será que os sul-americanos conseguirão chegar às oitavas da Copa do Mundo?
As fotos do pior dia dos sul-americanos na Copa até agora
Croácia arrasa Argentina e deixa hermanos com um pé fora da Copa
Sete dias de gols: confira as imagens de mais um dia de Copa na Rússia
Tags:
turismo, Copa do Mundo Rússia 2018, Sputnik Brasil, Neymar, Philippe Coutinho, Max Peixoto, Brasília, Sérvia, Moscou, Costa Rica, Salvador, Bahia, Rússia, Brasil
Padrões da comunidadeDiscussão
Comentar no FacebookComentar na Sputnik