O juiz da partida entre França e Austrália, o uruguaio Andres Cunha, utiliza a tecnologia do árbitro de vídeo no estádio de Kazan. Foi a primeira vez da história das Copas do Mundo em que a tecnologia foi utilizada.

Em jogo morno, árbitro de vídeo estreia em Copas do Mundo e ajuda a França

© AP Photo / Hassan Ammar
Copa do Mundo 2018
URL curta
210

Com um 1º tempo morno e decepcionante para quem esperava uma França favorita e ativa na partida, somente a segunda metade do jogo contra a Austrália na cidade de Kazan trouxe emoção digna de Copa do Mundo.

No entanto, coube à tecnologia estreante do chamado árbitro de vídeo a missão de apimentar a partida. Após um lance de falta na grande área, a tecnologia foi utilizada pela primeira vez na história das Copas, e a França pôde converter um penalti, com gol de Antoine Griezmann.

O gol da vitória francesa veio apenas no final do 2º tempo do jogo, e novamente com participação da tecnologia. 

Desta vez não uma tecnologia estreante. Quando a bola de Paul Pogba enconbriu o goleiro aos 81 minutos de jogo e pingou dentro gol e saiu, foi o relógio do árbitro quem cravou a certeza do gol, vibrando com a tecnologia de verificação da bola ao atravessar a linha da meta.

Apenas o gol australliano, marcado pelo capitão da seleção, Mile Jedinak, não precisou de verificação alguma.

Quem ganha com o uso da tecnologia é o espetáculo, e seu uso na Copa da Rússia inscreve a edição do torneio na história.

A França entra novamente em campo na quinta-feira (21) para enfrentar a seleção do Peru, em Ekaterimburgo. Já a seleção da Austrália enfrenta a Dinamarca, no mesmo dia, na cidade de Samara.

Tags:
Copa do Mundo Rússia 2018, FIFA, Paul Pogba, Antoine Griezmann, Ekaterimburgo, Samara, Dinamarca, Kazan, Austrália, França
Padrões da comunidadeDiscussão
Comentar no FacebookComentar na Sputnik