Bicicleta de Matyas

Argentino percorre o mundo de bicicleta e chega à Copa (FOTOS, VÍDEO)

© Sputnik / Oriol Forcada
Notícias sobre a Copa do Mundo 2018
URL curta
0 10

Um ciclista argentino viaja já durante cinco anos por todo o mundo de bicicleta. A Sputnik Mundo falou com Matyas Amaya para perceber como ele faz isso.

Inicialmente Matyas planejava viajar apenas por alguns dias. Pouco a pouco, estes dias foram aumentando até cinco anos, fazendo com que ele cobrisse 80.000 quilômetros. Eis o que acontece quando você se atreve a fazer alguma coisa: você atravessa o oceano Atlântico com sua bicicleta na bagagem.

"Da Argentina fui em direção ao norte e atravessei todo o Brasil. Logo fui de barco à Europa e atravessei toda a União Europeia. Madrid, o País Basco, França, Europa do Leste… Até chegar a Moscou", disse na entrevista à Sputnik Mundo.

Matyas tem uma conta no Instagram e Facebook onde publica todas as fotos
© Sputnik / Oriol Forcada
Matyas tem uma conta no Instagram e Facebook onde publica todas as fotos

E agora está em Moscou, com a mesma bicicleta com a qual saiu da Argentina e que, passados cinco anos, pesa mais do que o seu dono. "Pesa noventa quilos", assegura Amaya. E não há dúvida nisso, pois a Sputnik não a conseguiu levantar. "Homem, claro. Aqui trago toda a minha vida, tudo o que se passou comigo. Somos um, é a minha casa", reconhece.

Dezenas de bandeiras latino-americanas e europeias, quatro embalagens com mais de cinco litros de água, roupa de inverno e verão, centenas de adesivos em várias línguas, brinquedos, cartazes, um drone, vários discos rígidos "com tudo o que viveu", fotografias dos familiares, artigos de banho, câmeras, mais adesivos. "Tenho aqui uma empresa", declarou Matyas. Tem o perfil no Instagram e a página "Matyas por el Mundo" no Facebook. Lá ele conta onde viaja, o que está fazendo e o que está acontecendo com ele.

Todos os detalhes da sua bicicleta têm algum significado
© Sputnik / Oriol Forcada
Todos os detalhes da sua bicicleta têm algum significado

Como sobrevive uma pessoa durante cinco anos de bicicleta? "Não tenho dinheiro", admite.

"Vivo com ajuda que a gente me dá. Senão, não sobreviveria. Há quem me dê dinheiro. As pessoas que me asseguram que nunca convidariam ninguém desconhecido para sua casa, me deixam entrar, convidam para comer e tomar duche", contou.

Matyas com sua bicicleta, que pesa 90 quilos
© Sputnik / Oriol Forcada
Matyas com sua bicicleta, que pesa 90 quilos

Da sua experiência ele percebeu que há muito mais pessoas boas do que más. "Aconteceram comigo mais coisas boas do que más", afirma.

O fato de ele chegar à Rússia mesmo para o Mundial é mera coincidência. Mas Matyas não se queixa. Ele conseguiu ver ao vivo o jogo Rússia-Arábia Saudita que inaugurou a Copa. Uma família russa lhe perguntou quem era e se queria visitar o estádio. "Me disseram como era possível ter percorrido tantos quilômetros e não poder entrar". Assim, começaram a coletar dinheiro e finalmente lhe compraram o ingresso. Agora Matyas tem o FanID.

Sobre os russos disse que não encontrou neles nada do que lhe contavam antes. Não são frios, nem sérios. "Os russos têm um coração grande e estão sempre dispostos a ajudar", assegura.

Da Rússia planeja ir ao Qatar ou Finlândia, mas ainda não sabe ao certo. Tem tempo porque é jovem. "Sempre tenho 33 anos, fiquei aí", concluiu Matyas.

Mais:

Pela primeira vez desde 1974, Brasil não tem nenhum jogador conhecido pelo apelido na Copa
'A gente não espera nada além do hexa', diz torcedor brasileiro na Rússia
Em meio a revés alemão, brasileiros celebram seu time na capital russa (FOTOS, VÍDEO)
Tags:
bicicleta, ciclista, futebol, Copa 2018, Argentina, Rússia
Padrões da comunidadeDiscussão
Comentar no FacebookComentar na Sputnik