07:59 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Temas
    • Last update: 05:14 11.08.2020
      12:08 01.08.2020

      Coronavírus no mundo no início de agosto

      Até o início de agosto, a situação com o coronavírus no mundo segue complicada, batendo recordes diários em número de infectados e mortos. Em números de infectados lideram os EUA (com 4,5 milhões de casos da doença confirmados), o Brasil (2,6 milhões) e a Índia (1,6 milhão). Já em termos de mortos, primeiro seguem os EUA (com 153 mil mortos), o Brasil (92 mil) e o México (46 mil), que há pouco substituiu neste ranking o Reino Unido. O alarmante crescimento de novos casos da doença registrados na Europa faz as autoridades locais pensarem em novas limitações na passagem de fronteiras dentro e fora do bloco. A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que o novo surto do coronavírus na Europa pode ter sido causado pela negligência dos jovens em relação às restrições, tais como distanciamento social e uso de equipamento de proteção individual. Enquanto isso, vários países seguem avançando no desenvolvimento de vacinas contra a doença. Por exemplo, a Rússia afirma ter completado os testes de uma vacina, planejando efetuar vacinação em massa já em outubro deste ano.

      Coronavírus no mundo no início de agosto
    • Last update: 22:49 10.08.2020
      12:16 01.08.2020

      Brasil na pandemia de coronavírus no início de agosto

      O Brasil tem lidado com uma das situações mais difíceis em termos da pandemia de coronavírus, batendo recordes diários em mortes no mundo. Até o dia 1º de agosto, o Brasil tem 2,6 milhões de casos confirmados da doença, ocupando o segundo lugar depois dos EUA. Em termos de mortalidade, o Brasil também é o segundo após os EUA, com 92 mil mortos. A situação é agravada pelo fato de o chefe do país, Jair Bolsonaro, estar com a COVID-19. Além dele, até o momento, outros seis ministros contraíram a doença. Enquanto isso, o Ministério da Saúde segue sem ministro permanente. Não obstante a dinâmica alarmante, o país resolveu abrir fronteiras aéreas para estrangeiros. Entretanto, o Brasil continua se esforçando para obter acesso à futura vacina contra a doença, fechando acordos na linha de institutos com o Reino Unido, a China e outros países.

      Brasil na pandemia de coronavírus no início de agosto
    • Last update: 16:02 01.08.2020
      10:13 21.07.2020

      Brasil na luta contra COVID-19 no final de julho

      A situação brasileira com a COVID-19 continua sendo uma das piores no mundo. O país ocupa o segundo lugar em termos do número de infectados e mortes. Até o dia 21, estes números correspondiam a 2,1 milhão e 80 mil respectivamente. Autoridades do país continuam contraindo a doença, entre eles o próprio presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e o recém-nomeado ministro da Educação, Milton Ribeiro. Em meio aos avanços da doença, começaram os testes em voluntários da vacina elaborada pelo laboratório chinês Sinovac Biotech que fez uma parceria com o Instituto Butantan. Porém, caso seja comprovada a eficácia, a vacina será disponibilizada no SUS a partir de junho de 2021.

      Brasil na luta contra COVID-19 no final de julho
    • Last update: 12:20 01.08.2020
      10:09 21.07.2020

      COVID-19 e o mundo no final de julho

      A situação mundial com o coronavírus continua complexa apesar dos avanços na produção de vacinas contra a doença. A Rússia, por exemplo, anunciou ter completado os testes clínicos de sua primeira vacina, dando alta a todos os voluntários. Além disso, os EUA e o Reino Unido anunciaram sucessos nas testagens de suas vacinas. Entretanto, o número de infectados no mundo vem batendo recordes diários. Até o dia 21, no mundo havia mais de 14,7 milhões de infectados, com cerca de 3,8 milhões de infectados nos EUA, 2,1 milhões no Brasil e 1,1 milhão na Índia. Em muitos países, após um breve afrouxamento das limitações, essas parecem estar de volta. A República Dominicana repôs estado de emergência que havia sido cancelado no início de julho. Na Austrália, as reuniões do parlamento foram suspensas. Na Bélgica, em um tempo recorde, o número de infectados subiu quase 60%. Já as autoridades do Chipre resolveram que o pior está no passado, tendo permitido a entrada de turistas de 50 países.

      COVID-19 e o mundo no final de julho
    • Last update: 23:28 20.07.2020
      13:52 10.07.2020

      Brasil combatendo pandemia do coronavírus em meados de julho

      A notícia principal do país até meados de julho é o contágio do presidente da República Jair Bolsonaro. O presidente não parou de participar de aglomerações e de se comunicar com jornalistas, vindo a contrair COVID-19. Brasil continua ocupando a segunda posição mundial na quantidade de infectados, que já totalizam mais de 1.755.000 casos, e registrando ao menos mil mortes por dia. Prefeitos de cidades grandes, como Rio de Janeiro e São Paulo, renovam quarantenas com bares e praias fechadas. Já as mais promissoras vacinas, a da Universidade de Oxford e a chinesa da Sinovac Biotech, estão em solo brasileiro para testagem.

      Brasil combatendo pandemia do coronavírus em meados de julho
    • Last update: 19:10 20.07.2020
      13:54 10.07.2020

      Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de julho

      Até 10 de julho, o mundo ultrapassou a marca de 12 milhões de casos do novo coronavírus. Estados Unidos continuam liderando com mais de três milhões de casos, o Brasil ocupa a segunda posição mundial com 1,7 milhão de infectados e a Índia, após ultrapassar a Rússia, ocupa o terceiro lugar com quase 400 mil casos confirmados. O novo coronavírus já matou 555 mil pessoas por todo o mundo. Entretanto, a vida começa a voltar ao normal. A Europa abre fronteiras para pessoas com teste negativo para COVID-19 vindas de países definidos. Continuam também testes clínicos para vacinas no Brasil, Rússia, China, EUA e em outros países. Há países, como EUA e Brasil, que ainda têm que fazer muito para eliminar a doença. Entretanto, a questão sobre uma segunda onda do coronavírus ainda está aberta.

      Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de julho
    • Last update: 13:33 10.07.2020
      09:15 01.07.2020

      Pandemia do coronavírus no Brasil no início de julho

      Brasil continua sendo o segundo país com mais casos confirmados e mortes pelo novo coronavírus, estando perto de atingir a marca de 1,5 milhão de infecções por contar com 1.402.041 casos. No dia 1º de julho, o país já possuía na bagagem 59.594 mortes, segundo o Ministério da Saúde. No fim de junho, uma em cada cinco mortes pela COVID-19 no mundo aconteceu no Brasil. Os EUA entregaram primeiro lote de ventiladores pulmonares para o país. O governo federal continua distribuindo atendimento médico e insumos para as comunidades indígenas no interior. Após início dos testes de vacina contra a COVID-19 da Universidade de Oxford, o Ministério da Saúde anunciou acordo de cooperação com Reino Unido para produção de vacina.

      Pandemia do coronavírus no Brasil no início de julho
    • Last update: 12:41 10.07.2020
      09:15 01.07.2020

      Mundo enfrentando COVID-19 no início de julho

      No fim de junho, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que "embora muitos países tenham feito algum progresso globalmente, a pandemia está realmente se acelerando". O mundo entra em julho com 10.450.628 casos confirmados do novo coronavírus e 510.632 mortes, sendo 127.410 destas nos EUA. Europa está voltando à vida normal e a UE anunciou a abertura de suas fronteiras para vários países, deixando de fora EUA, Brasil e Rússia, que têm os maiores números de casos confirmados. Vacinas para COVID-19 começam a ser testadas na Rússia, China, EUA, Brasil e em outros países com a perspectiva de serem produzidas até o fim do ano.

      Mundo enfrentando COVID-19 no início de julho
    • Last update: 14:25 06.07.2020
      20:35 02.09.2018

      Incêndio devora Museu Nacional do Brasil

      Na noite do domingo, em 2 de setembro, por volta das 19h30 locais, fogo descontrolado abalou a primeira instituição científica na história do Brasil, Museu Nacional no Rio de Janeiro. De acordo com os cálculos, o acervo da instituição desfrutava de 20 milhões de itens com destaque especial dado à coleção egípcia, que começou a ser reunida ainda pelo imperador Dom Pedro I. Já que as chamas se irromperam após o fechamento do museu, estas acabaram não provocando nenhumas vítimas mortais, porém, o prejuízo cultural provocado pelo desastre sem razão estabelecida é de enormes proporções.

      Incêndio devora Museu Nacional do Brasil
    • Last update: 12:22 01.07.2020
      12:43 21.06.2020

      Situação com coronavírus no Brasil no fim de junho

      Após a tentativa do governo do Brasil de ocultar o número total de mortes e infectados pelo novo coronavírus, vários veículos da imprensa criaram um consórcio e publicam todos os dados atualizados, separadamente do novo painel de dados do Ministério da Saúde. No entanto, os números diferem pouco e, em 21 de junho, o Brasil ultrapassou o trágico número de 50 mil mortes, pouco mais de três meses desde o primeiro óbito. O país também atingiu 1.000.000 casos confirmados do novo coronavírus. Mas medidas de distanciamento social continuam sendo relaxadas, com lojas e praias abertas. Ademais, o vírus parece pouco a pouco estar abandonando as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro e São Paulo e avançando para o interior.

      Situação com coronavírus no Brasil no fim de junho
    • Last update: 17:13 30.06.2020
      12:34 21.06.2020

      Pandemia da COVID-19 no mundo no fim de junho

      A Organização Mundial da Saúde declarou a pandemia do novo coronavírus SARS-CoV-2 no início de março. Desde então, foram confirmados mais de 8.800.000 casos. Entre eles, 2,2 milhões nos EUA e mais um milhão no Brasil. Recentemente, Pequim foi forçada a reintroduzir várias restrições para impedir a propagação da doença devido ao surgimento de um novo surto da doença em um mercado. Os países europeus, ao contrário, estão abrindo as fronteiras para turistas. Agora a atenção de todo mundo está concentrada na elaboração de uma vacina contra o novo coronavírus, cujos testes clínicos já foram lançados na Rússia.

      Pandemia da COVID-19 no mundo no fim de junho
    • Last update: 07:05 22.06.2020
      11:20 11.06.2020

      Situação do mundo com COVID-19 em meados de junho

      Desde a Organização Mundial da Saúde (OMS) ter declarado o surto de coronavírus SARS-CoV-2 uma pandemia, passaram-se três meses. Segundo os dados da Universidade Jonhs Hopkins, até o dia 11, o país mais atingido pela COVID-19 continua sendo os EUA com mais de dois milhões de casos confirmados e quase 113 mil mortes. O Brasil segue ocupando o segundo lugar, com mais de 772 mil casos confirmados e quase 40 mil mortes. A Rússia ocupa a terceira posição, com mais de 500 mil casos da doença confirmados e cerca de 6,5 mil mortes. Enquanto isso, a Europa, que já tinha começado a se recuperar no mês passado, planeja reabrir em breve fronteiras com países terceiros.

      Situação do mundo com COVID-19 em meados de junho
    • Last update: 04:00 22.06.2020
      04:00 08.09.2016

      Sputnik-Opinião

      Para oferecer uma ótima cobertura da atualidade internacional, a Sputnik lançou, em 2015, o projeto Sputnik-Opinião, que reúne pesquisas feitas por importantes empresas mundiais de opinião pública. Confira e participe!

      Sputnik-Opinião
    • Last update: 21:39 20.06.2020
      13:36 11.06.2020

      Brasil e COVID-19 em meados de junho

      Após exatos três meses desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto do novo coronavírus uma pandemia, a situação no Brasil é uma das piores no mundo. Com mais de 772 mil casos confirmados e quase 40 mil mortes, o país sul-americano ocupa a segunda posição mundial em termos de infectados pela COVID-19 e terceira em termos de mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. Entretanto, parte dos estados e municípios resolveu reabrir a atividade econômica não obstante o número de casos estarem altos. A Prefeitura de São Paulo resolveu reabrir lojas de rua, imobiliárias e shopping centers. Já o Rio de Janeiro segue um rumo mais confuso, com o governador Wilson Witzel autorizando a reabertura de bares e restaurantes, e o prefeito Marcelo Crivella barrando a sua retomada.

      Brasil e COVID-19 em meados de junho
    • Last update: 13:05 11.06.2020
      03:09 02.06.2020

      Brasil enfrenta COVID-19 no início de junho

      Até 1º de junho, Brasil segue ocupando o segundo lugar mundial no número de infectados pela COVID-19, com mais de 500 mil casos. A crise é agravada pela confusão no Ministério da Saúde do país, provocada pela rápida troca de chefes da pasta, bem como pelo confronto entre o presidente, Jair Bolsonaro, com governadores dos estados, em relação ao funcionamento do país em meio à pandemia. Mesmo com números altos, diferentes estudos sugerem que, na realidade, há muito mais infectados, tendo sete vezes mais. Enquanto isso, o estado brasileiro mais afetado, São Paulo executa o processo de transição para a reabertura da economia a partir do 1º de junho.

      Brasil enfrenta COVID-19 no início de junho
    • Last update: 11:00 11.06.2020
      03:06 02.06.2020

      COVID-19 desafia mundo no início de junho

      De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), até 1º de junho, o número total de pessoas infectadas pelo novo coronavírus no mundo superou seis milhões. Óbitos somaram 372 mil. Os EUA lideram o ranking dos países mais afetados pela pandemia, seguidos por Brasil e Rússia. Países pelo globo continuam adotando medidas de afrouxamento das restrições. Na vanguarda estão os países que mais dependem de turismo internacional: Itália, Grécia e Turquia. Outros países, como a Rússia, por exemplo, começam a afrouxar restrições com a permissão de circulação de pessoas e funcionamento de serviços.

      COVID-19 desafia mundo no início de junho
    • Last update: 09:11 01.06.2020
      05:02 21.05.2020

      Mundo enfrentando pandemia no fim de maio

      Apesar de vários países estarem começando a flexibilizar medidas restritivas contra a propagação da doença COVID-19, a situação permanece difícil em outras nações. Itália, que já foi um dos países mais afetados da Europa e do mundo, está reabrindo cafeterias e barbearias, com igrejas recebendo fiéis em cumprimento com distanciamento social e uso de máscaras obrigatório. Várias regiões da Espanha, exceto Madri e Barcelona, também flexibilizam medidas de restrições ao permitir passeios nas ruas. EUA continuam liderando mundialmente no número de casos confirmados com mais de 1,5 milhão de infectados e 93 mil mortes. A Rússia ocupa o segundo lugar com mais de 308 mil casos e Brasil sobe para o terceiro lugar devido ao aumento significativo de casos nos últimos dias, contando já com 291 mil infectados. Em geral, o número de casos confirmados em 188 países atingidos pelo novo coronavírus ultrapassou 5 milhões de pessoas, tendo cerca de 328 mil infectados morrido.

      Mundo enfrentando pandemia no fim de maio
    • Last update: 23:57 31.05.2020
      05:08 21.05.2020

      Brasil combatendo pandemia da COVID-19 no fim de maio

      Brasil entra no fim de maio como o terceiro país no mundo em número de infectados pelo novo coronavírus, com 291 mil casos confirmados, sendo superado apenas pelos EUA, com 1,5 milhão de casos, e Rússia, com mais de 300 mil pessoas infectadas. O número de casos, assim como o número de mortes, aumenta no país significativamente cada dia, o que faz com que vários especialistas apontem o Brasil como o novo epicentro da pandemia. Até 20 de maio, cerca de 18.800 brasileiros morreram. O combate à doença se agrava no país pelo vazio na chefia do Ministério da Saúde devido à demissão de Nelson Teich, que deixou o cargo depois de menos de um mês da nomeação.

      Brasil combatendo pandemia da COVID-19 no fim de maio
    • Last update: 04:40 21.05.2020
      09:19 11.05.2020

      Avanço da pandemia de COVID-19 em meados de maio

      Até o dia 11 de maio, a lista dos países mais afetados pela pandemia do coronavírus inclui os EUA, Espanha, Rússia, Reino Unido e Itália. Além disso, notícias preocupantes vêm de Wuhan, o foco inicial da doença: pela primeira vez desde abril foram registrados novos casos de COVID-19. Entretanto, vários países europeus já começaram a afrouxar as restrições impostas anteriormente. Em particular, a Alemanha começou a retirar limitações a contatos sociais, abrir supermercados e, em algumas regiões, restaurantes. Na França, pessoas são permitidas a sair de casa sem passes especiais, bem como caminhar e praticar esporte. Na Espanha, a metade da população é permitida a sair de casa, porém, cumprindo distanciamento social bem restrito. Já os restaurantes podem atender clientes ao ar livre. Alguns países, como Países Baixos, começam a abrir escolas primárias.

      Avanço da pandemia de COVID-19 em meados de maio
    • Last update: 00:40 21.05.2020
      12:28 11.05.2020

      Brasil luta com pandemia em meados de maio

      O número de infectados pelo novo coronavírus, bem como o de vítimas mortais no Brasil, tem crescido significativamente, tendo 162.699 casos confirmados e 11.123 mortes até o dia 11 de maio. O estado de São Paulo lidera com o maior número de casos e óbitos (45.444 e 3.709 respectivamente). Porém, a incidência e a mortalidade são maiores na Região Norte: no Amapá (309 casos e 8,5 mortes por 100 mil residentes) e Amazonas (304 incidências e 24,2 mortes por 100 mil residentes). Quanto à capacidade de atendimento dos sistemas estaduais, o Rio de Janeiro apresenta a maior taxa de ocupação dos leitos de UTI, com 98%, seguido pelo Maranhão (92,25%), Amazonas e Ceará (ambos com 90%).

      Brasil luta com pandemia em meados de maio