21:53 23 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    COVID-19 no mundo em outubro de 2021 (23)
    2176
    Nos siga no

    Médica brasileira afirmou que a Organização Mundial de Saúde prepara "tratado sobre pandemias" e que nova pandemia é apenas "uma questão de tempo".

    Mariângela Simão, diretora-geral adjunta da Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou nesta terça-feira (5) que é questão de tempo até o mundo sofrer com nova pandemia após a COVID-19.

    "Essa pandemia, depois da gripe espanhola, foi a mais impactante e é também uma constatação: acho que o mundo precisa acordar porque a gente vê que não foram apenas os países em desenvolvimento que foram afetados. Afetou o mundo todo, ninguém estava preparado [...]. A Assembleia Mundial de Saúde agora em novembro discutirá a possibilidade de desenvolver um tratado para pandemias", afirma a médica à agência RFI.

    A diretora-geral adjunta da OMS acrescenta que a organização já se prepara para uma nova pandemia. "Vai ter uma próxima pandemia. Isso é uma coisa que a gente já sabe e que é inevitável. É uma questão de quando vai acontecer", constata Simão.

    Sobre o tratado para pandemias, a médica afirma que o protocolo é importante "não só por reforçar o papel da OMS em situação de emergência de interesse público", mas porque "cria uma série de formalidades que os países e o setor privado têm que tomar no caso de uma emergência como uma nova pandemia mundial".
    Indígena é vacinado no povoado de Iuaretê, no município São Gabriel da Cachoeira (AM)
    © Folhapress / Paulo Lopes / BW Press
    Indígena é vacinado em São Gabriel da Cachoeira (AM)

    Vacina para países pobres

    Mariângela Simão comentou os compromissos de alguns países com a doação de vacinas contra o SARS-CoV-2.

    "Os EUA não só se comprometeram o ano que vem em doar 500 milhões de doses da [vacina] Pfizer, mas o governo norte-americano já possibilitou a entrada de 200 milhões de doses da Pfizer neste ano [...]. A França e vários outros países estão doando, o que é muito bem-vindo. Não resolve todo o problema, mas é muito bem-vindo que países que têm condições e que já atingiram coberturas vacinais maiores estejam contribuindo para uma maior equidade da cobertura global".

    Em julho, o consórcio Covax começou a distribuir as vacinas contra COVID-19. O consórcio, uma iniciativa da OMS em parceria com a Aliança para Vacinação (Gavi), tem como objetivo uma distribuição mais igualitária de vacinas contra o novo coronavírus entre países pobres e ricos.

    Tema:
    COVID-19 no mundo em outubro de 2021 (23)

    Mais:

    Conflito de interesses faz equipe que investigava origem da COVID-19 ser dissolvida nos EUA, diz WSJ
    CPI da Covid: Prevent Senior defendeu cloroquina para atuar contra lockdown, diz advogada de médicos
    Todos vacinados com Sputnik V desenvolvem anticorpos contra COVID-19, conclui estudo argentino
    Polícia Federal realiza operação de busca e apreensão contra alvo da CPI da Covid
    Tags:
    pandemia, OMS, Organização Mundial da Saúde (OMS), COVID-19, novo coronavírus, vacina, vacina, vacinação, EUA, França, COVAX Facility
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar