00:34 09 Março 2021
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)
    232
    Nos siga no

    A AstraZeneca desmentiu na noite desta segunda-feira (25) relatos de que sua vacina contra a COVID-19 só teria eficácia de 8% em idosos.

    Mais cedo, órgãos de imprensa da Alemanha noticiaram que a vacina desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford poderia ter eficácia de apenas 8% em pessoas com mais de 65 anos e, por esse motivo, o governo alemão esperava que a agência reguladora europeia não aprovaria seu uso em cidadãos dessa faixa etária.

    A AstraZeneca, no entanto, disse que esses relatos da mídia alemã seriam "completamente incorretos", de acordo com a agência Reuters. 

    ​Essa vacina é uma das duas aprovadas até o momento pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso no Brasil, sendo também uma das apostas do Ministério da Saúde para o programa nacional de imunização contra o novo coronavírus.

    Em testes realizados com mais de 11 mil voluntários no Brasil e no Reino Unido, a vacina de Oxford registrou uma eficácia global acima dos 70%. Mas, segundo reportagem da revista Exame, esses estudos foram conduzidos com um número muito pequeno de idosos, motivo pelo qual os próprios cientistas destacaram a necessidade de se realizar pesquisas mais específicas para avaliar a eficácia desse imunizante de acordo com a faixa etária.

    Tema:
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)

    Mais:

    Empresas privadas brasileiras negociam compra de 33 milhões de doses de vacina, diz jornal
    Médico aponta o que significam sintomas que aparecem depois de tomar vacina anti-COVID-19
    Brasil terá vacinas suficientes para imunizar toda a população em 2021?
    Tags:
    idosos, Reuters, Alemanha, Universidade de Oxford, Oxford, vírus, pandemia, novo coronavírus, COVID-19, vacina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar