10:09 17 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    COVID-19 no mundo no início de janeiro de 2021 (75)
    0 10
    Nos siga no

    O presidente do Instituto Serum da Índia, um dos líderes mundiais em produção de imunizantes, disse na terça-feira (5) que as vacinas podem ser exportadas para todos os países.

    O referido instituto produz na Índia a vacina contra a COVID-19 desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

    ​Gostaria de esclarecer duas questões; uma vez que existe confusão no domínio público, exportações de vacinas são permitidas para todos os países e será feita uma declaração pública conjunta esclarecendo quaisquer mal-entendidos recentes em relação à Bharat Biotech.

    O medicamento contra o novo coronavírus desenvolvido pelo laboratório indiano Bharat Biotech recebeu no sábado (2) a aprovação para uso emergencial na Índia.

    A empresa ofereceu o imunizante ao Ministério da Saúde do Brasil e receberá uma delegação de clínicas privadas de vacinação brasileiras que estão interessadas em adquirir a vacina para comercialização pelo setor privado, escreve portal Terra.

    No último domingo (3), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou a compra de doses desta vacina, tendo obtido a autorização da Anvisa para importar 2 milhões de doses do imunizante produzido pelo instituto indiano.

    Anteriormente o Instituto Serum, na figura de seu CEO, Adar Poonawalla, anunciou na noite de domingo (3) que as exportações serão barradas até que a população mais vulnerável da Índia seja imunizada. Poonawalla também confirmou que a empresa foi impedida de vender suas doses para organizações privadas.

    Tema:
    COVID-19 no mundo no início de janeiro de 2021 (75)

    Mais:

    Reino Unido é o 1º país a autorizar vacina contra SARS-CoV-2 da AstraZeneca
    AstraZeneca diz estar trabalhando para que sua vacina seja aprovada no Brasil o mais rápido possível
    Centro Gamaleya: vacinação combinada da Sputnik V com AstraZeneca gerará imunidade por 2 anos
    Tags:
    vacina, vacinação, pandemia, Brasil, Anvisa, Fiocruz, indústria farmacêutica, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar