09:13 28 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    0 42
    Nos siga no

    A francesa Christine Lagarde e a norte-americana Kamala Harris completam o pódio. A lista conta com uma brasileira: Andrea Marques de Almeida, diretora financeira da Petrobras, ocupa a 77ª posição.

    Angela Merkel, a chanceler da Alemanha, foi eleita pela décima vez a mulher mais poderosa do mundo pela Forbes. A revista divulgou o ranking de 2020 nesta terça-feira (8).

    Entre as justificativas para a escolha de Merkel como primeira da lista, a revista destaca que a chanceler "é quem de fato lidera a Europa, comandando a maior economia do continente" e que ela "tirou a Alemanha de uma crise financeira e fez o país crescer novamente".

    A francesa Christine Lagarde, presidente do Banco Europeu, ficou em segundo lugar na lista, pela segunda vez. Entre 2011 e 2019, Lagarde foi a diretora do Fundo Monetário Internacional.

    Em terceiro lugar, Kamala Harris completa o pódio: em novembro, ela se tornou a primeira mulher eleita vice-presidente dos Estados Unidos (embora Trump ainda conteste o resultado da eleição).

    Em Detroit, nos EUA, a senadora Kamala Harris durante comício da campanha presidencial do candidato democrata Joe Biden, em de março de 2020.
    © AP Photo / Paul Sancya
    Em Detroit, nos EUA, a senadora Kamala Harris durante comício da campanha presidencial do candidato democrata Joe Biden, em de março de 2020.

    A lista conta com uma brasileira: a diretora financeira da Petrobras, Andrea Marques de Almeida, que ficou em 77º lugar. A Forbes destaca que a diretora comanda o programa de venda de ativos da Petrobras, que tem como meta arrecadar pelo menos US$ 20 bilhões (cerca de R$ 102 bilhões) para a empresa.

    Única russa na lista, Elvira Nabiullina (57ª posição) é ex-conselheira econômica do presidente russo Vladimir Putin e, em 2013, se tornou a primeira mulher a dirigir um banco central de um país do G8.

    A lista conta ainda com outros nomes populares, como a apresentadora norte-americana Oprah Winfrey, 20ª colocada. Jacinda Ardern, a primeira-ministra da Nova Zelândia, ficou em 32º lugar, enquanto a Rainha Elizabeth II, do Reino Unido, é a 46ª colocada.

    Mais:

    Merkel quer ampliação de contribuições à iniciativa da OMS por vacinas contra a COVID-19
    'Não sou feminista': 'revelação' sobre Trump vira piada nas redes sociais
    Apesar de Bolsonaro, número maior de mulheres na Câmara pode reforçar feminismo
    Protestos feministas contra Trump reúnem milhares de pessoas em várias cidades dos EUA (VÍDEO)
    Tags:
    ranking, mundo, poder, feminismo, mulheres, Forbes
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar