21:48 17 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    448
    Nos siga no

    Em um documentário lançado nesta quarta-feira (21), o papa Francisco disse que casais homossexuais deveriam ser protegidos por leis de união civil. 

    Francisco fez o comentário mais claramente favorável ao casamento entre pessoas do mesmo sexo de seu pontificado, iniciado em 2013. No passado, quando perguntando sobre a questão, ele disse: "Quem sou eu para julgar?". 

    Em trecho do documentário "Francesco", do diretor Yevgeny Afineevsky, o papa afirmou, segundo a agência Reuters, que homossexuais têm o direito de ter uma família. 

    "Pessoas homossexuais têm o direito de ter uma família. Eles são filhos de Deus e têm o direito de ter uma família. Ninguém deveria ser expulso ou ficar infeliz por causa disso", disse o pontífice no filme indicado ao Oscar, que estreou no Festival de Cinema de Roma. 

    'Temos de criar uma lei de união civil'

    O comentário foi feito em parte do documentário que fala sobre Andrea Rubera, um homem que, ao lado de seu parceiro, adotou três crianças. A obra também aborda assuntos como meio ambiente, pobreza, imigração, racismo, desigualdade e discriminação. 

    Em seguida, Francisco vai além, e diz que casais gays têm o direito de serem protegidos pela lei

    "O que temos que criar é uma lei da união civil. Dessa forma, eles são legalmente cobertos. Eu defendi isso", disse o papa. 

    Quando foi arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mario Bergoglio se colocou contra uma lei aprovando o casamento gay, mas, na ocasião, defendeu algum tipo de proteção legal para esse tipo de união.

    Mais:

    Papa Francisco pede cautela na luta contra pandemia: 'Não declarem vitória muito cedo'
    Papa Francisco pede apoio a idosos isolados pela pandemia: 'Não os deixem sozinhos'
    'Ricos não devem ter prioridade para vacina contra COVID-19', alerta Papa Francisco
    Tags:
    Cinema, documentário, Argentina, casamento gay, direitos humanos, gays, igreja, Papa Francisco
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar