08:27 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    Situação do mundo com COVID-19 em meados de junho (50)
    0 61
    Nos siga no

    Mídia divulgou em 19 de junho notícias que os produtos congelados deveriam ser monitorados dado o coronavírus SARS-CoV-2, causador da COVID-19, não temer o frio, podendo sobreviver por até 20 anos a -20 °C.

    A renomada epidemiologista chinesa Li Lanjuan refutou notícias da mídia, que a citaram erroneamente como tendo afirmado que o coronavírus SARS-CoV-2 poderia sobreviver a -20 °C por 20 anos.

    O desmentido surge na sequência de diversos artigos na mídia que lhe atribuíam a afirmação que o novo coronavírus SARS-CoV-2, causador da doença COVID-19, poderia sobreviver por até 20 anos a -20 °C, pelo que seria aconselhável monitorar produtos congelados importados.

    A afirmação se tornou viral, e indicaria a razão por que houve vários surtos com origem em mercados de frutos do mar.

    Mercado de Xinfadi em meio à pandemia do coronavírus, em Pequim, China
    © REUTERS / Tingshu Wang
    Mercado de Xinfadi em meio à pandemia do coronavírus, em Pequim, China

    Li fez o esclarecimento depois que a falsa informação se tornou viral nas plataformas de mídia social da China, citando seus comentários em uma reunião de 19 de julho, onde teria afirmado que o coronavírus é particularmente resistente ao frio e poderia sobreviver por meses a -4 °C e até 20 anos a -20 °C.

    Segundo noticia hoje (20) o portal chinês em língua inglesa Global Times, Li salientou que seus comentários em 19 de junho foram mal interpretados.

    Segundo a conhecida epidemiologista, a sobrevivência de vírus em temperaturas de congelamento e durante muitos anos só se aplica a "situações gerais" e a "vírus conhecidos", e não propriamente ao SARS-CoV-2.

    Li Lanjuan afirma que o SARS-CoV-2 é um novo coronavírus e que sua resistência a baixas temperaturas ainda não é conhecida.

    A cientista acrescentou, por isso, haver necessidade de estudar a capacidade de resistência do novo coronavírus a baixas temperaturas.

    Relatos sobre uma segunda onda do novo coronavírus em Pequim sugerem uma ligação com produtos do mar congelados importados, refere o Global Times.

    A mídia chinesa noticiou anteriormente que o vírus havia sido encontrado em uma prancha de corte usada para processar salmão importado no mercado de frutos do mar Xinfadi em Pequim.

    Houve também relatos de que muitas das 200 amostras coletadas no mercado deram positivo para o novo coronavírus, conclui o Global Times.

    Tema:
    Situação do mundo com COVID-19 em meados de junho (50)

    Mais:

    Estudo conclui que mutação do coronavírus multiplica seus 'espinhos' e o fortalece
    Especialistas preveem 33,5% de probabilidade de ocorrer algum cenário catastrófico até 2030
    China divulga dados do genoma de coronavírus encontrado em mercado de Pequim: 'Vírus é da Europa'
    Tags:
    frio, novo coronavírus, China, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar