08:14 01 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    0 80
    Nos siga no

    Novas pesquisas indicam que os vikings mantinham partes de crânios e bebês mortos, entre outras coisas, sob portas e pisos de suas casas.

    A arqueóloga Marianne Hem Eriksen, da Universidade de Oslo, analisou 40 descobertas arqueológicas de fósseis de crânios ao redor da Escandinávia, da Idade do Ferro, encontrados entre 250 a.C. e 1050 d.C., o que corresponde ao fim da Era Viking, segundo a emissora NRK.

    "Partes de corpos às vezes eram colocadas em torno de fazendas e dentro das casas longas. Isso pode não ter sido por acaso [...] deve ter sido importante para eles terem seus mortos por perto. Obviamente tinha algum sentido para eles", afirmou Hem Eriksen.

    Apesar de sugestões anteriores indicarem que os ossos ou partes de corpos vieram de locais de enterramento próximos que foram perturbados ou destruídos, a arqueóloga acredita que essas ações foram planejadas e intencionais.

    "Encontramos fósseis de crânios bastante numerosos nas casas. Acredito que a cabeça pode ter sido utilizada de diferentes maneiras. Seja para preservar a essência de alguém que morreu ou para tentar deliberadamente destruir a personalidade de um inimigo", sugeriu Eriksen, que também acredita que os ossos poderiam servir como proteção contra espíritos malignos.

    Uma das descobertas mais famosas foi a do crânio de Ribe, Dinamarca, que foi esculpido com runas e nomes dos deuses nórdicos Odin e Tyr, além de possuir um buraco que lhe permitiria ser usado como amuleto contra dor e doenças.

    "Em alguns lugares, parece que era tradição enterrar corpos de crianças por gerações [...] Eles podiam ter criado um vínculo entre pessoas, as casas e o lugar", afirmou Eriksen.

    Pessoas vestidas de Vikings simulam batalha durante Festival Viking em Trelleborg, na Dinamarca (foto de arquivo)
    © AP Photo / Mads Nissen / Polfoto
    Pessoas vestidas de Vikings simulam batalha durante Festival Viking em Trelleborg, na Dinamarca (foto de arquivo)

    Isso porque crianças pequenas também foram encontradas enterradas nas fundações das casas, poços e lareiras, onde eles cozinhavam e comiam.

    Com isso, a nova pesquisa revela um fato intrigante sobre os rituais citados pela literatura e pelo cinema de que os vikings eram queimados em barcos ou enterrados em túmulos juntamente com seus itens valiosos a caminho de Valhalla, conhecido como o lendário salão onde os guerreiros descansavam.

    Mais:

    'Casa mortuária': guerreiros escandinavos enterrados na Polônia intrigam arqueólogos
    São desenterrados 42 esqueletos amarrados uns aos outros no Reino Unido
    Peças de jogo de tabuleiro de 1.200 anos são encontradas no Reino Unido (FOTOS)
    Tags:
    mortes, estudo, vikings, viking, ritual, assassinatos rituais, crânio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar