09:13 25 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    Mundo lidando com COVID-19 no início de abril de 2020 (153)
    280
    Nos siga no

    A doença COVID-19, causada pelo vírus SARS-CoV-2, trata-se de uma infecção nos pulmões e causa estragos no sistema imunológico que podem provocar dano pulmonar a longo prazo.

    Apesar de ser parecido com outros vírus, o SARS-CoV-2 apresenta diferenças genéticas que desempenham um papel significativo na facilidade na hora de infectar alguém, explica Benjamin Neuman, professor de biologia da Universidade do Texas A&M, em artigo publicado no portal The Conversation.

    O SARS-CoV-2 tem um conjunto totalmente diferente de genes chamados acessórios, que oferecem diversas vantagens ao novo coronavírus.

    Processo de infecção

    O coronavírus se propaga quando uma partícula viral com uma única cadeia larga de material genético é inserida em uma célula humana e logo esse material genético instrui a célula para que produza aproximadamente trinta partes diferentes do vírus, permitindo sua reprodução.

    O SARS-CoV-2 infecta as células que possuem uma proteína chamada ACE2, responsável pela regulação da pressão arterial, e se adere como uma porta para infectar mais células.

    Esta é a razão pela qual o coronavírus pode ter consequências mais graves em pessoas que sofrem de pressão arterial alta.

    A maior parte do dano do novo coronavírus é causada pelo próprio sistema imunológico ao se defender para deter a propagação do vírus, segundo Neuman.

    "Milhões de células do sistema imunológico invadem o tecido pulmonar infectado e causam grandes quantidades de danos neste processo de limpeza do vírus e das células infectadas", detalha o professor.

    Enquanto os pulmões são reparados, a principal tarefa dos médicos é apoiar o corpo do paciente e manter o sangue oxigenado.

    Ao mesmo tempo, o biólogo afirma que "o SARS-CoV-2 é mais grave que a gripe, em parte devido ao fato de ter mais formas de evitar que as células solicitem ajuda ao sistema imunitário".

    Ou seja, o coronavírus é capaz de bloquear a produção de interferon, que é a proteína de sinalização de alarme, em combinação com uma camuflagem. Desta forma, a doença "pode atuar durante um mês, causando pouco dano diário, enquanto a maioria das pessoas supera um caso de gripe em menos de uma semana".

    Tema:
    Mundo lidando com COVID-19 no início de abril de 2020 (153)
    Tags:
    pandemia, infecção, especialista, novo coronavírus, vírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar