00:31 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Templo asteca é encontrado no meio da Cidade do México

    Reino secreto asteca é encontrado debaixo de cidade mexicana (FOTOS)

    © REUTERS / Henry Romero
    Sociedade
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    Arqueólogos descobriram um antigo túnel de água asteca construído pelo imperador Emperor Moctezuma I no século XV. O túnel estaria ligado ao deus da água e da fertilidade, Tláloc.

    Uma parede de um túnel ornamentado com diversas esculturas em pedra e estátuas de grande valor arqueológico teria sido encontrada na cidade de Ecatepec de Morelos, no México, informou o Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH).

    A parede, encontrada em um túnel de quase oito metros de comprimento, possui em torno de 11 imagens esculpidas que estariam vinculadas ao deus Tláloc, da religião asteca. Tláloc representava a chuva, a água e a fertilidade, segundo o tabloide Daily Star.

    1 / 3
    Túnel asteca encontrado na Cidade do México

    O trabalho é realizado no local desde 2004, como parte de um projeto de conservação, já que a infraestrutura do local foi construída no século XVII pelos indígenas.

    No sítio arqueológico, há materiais de construção do Período Formativo na pré-história das Américas, entre 900 a.C. e 150 d.C., período em que surgiram as primeiras aldeias dependentes da agricultura.

    Além disso, os arqueólogos acreditam que o imperador asteca Moctezuma, que teve uma grande contribuição para o Império Asteca, construiu a barragem para impedir a inundação do vale.

    Além disso, o imperador realizou reforma social, econômica, política e ações de paz com outras tribos da época, falecendo em 1469.

    Mais:

    Arqueólogos divulgam detalhes sobre sarcófagos recentemente descobertos no Egito (FOTOS)
    Arqueólogo faz revelações sobre suposto túmulo de Jesus
    Arqueólogos acham afresco de gladiadores extremamente realista em Pompeia (FOTO)
    Tags:
    descoberta, arqueólogos, arqueólogo, arqueologia, México, astecas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar