12:22 05 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Papa Francisco no Vaticano.

    'É uma honra se os americanos me atacarem', afirma Papa

    © Sputnik / Vladimir Astapkovich
    Sociedade
    URL curta
    10432
    Nos siga no

    Ao ser presenteado com um livro sobre seus detratores dentro da Igreja Católica dos Estados Unidos, o Papa Francisco afirmou de improviso: "É uma honra se os americanos me atacarem".

    O comentário ácido foi feito no avião papal durante viagem de Roma para Maputo, capital de Moçambique, onde o pontífice iniciará uma peregrinação de sete dias pelo sul do continente africano. A visita também inclui Madagascar e Ilhas Maurício.

    O livro em questão, "How America Wants to Change the Pope” (Como a América Quer Mudar o Papa, em tradução livre), foi oferecido a bordo a Francisco pelo seu próprio autor, Nicholas Seneze, que cobre o Vaticano para o jornal católico francês La Croix.

    Após receber o exemplar, o Papa o entregou a um ajudante e acrescentou, segundo publicou a agência AP: "isso é uma bomba". Ao dar o livro a Francisco, Seneze disse que sua intenção ao escrevê-lo foi mostrar os problemas enfrentados pelo pontífice nos EUA, e como o líder religioso respondeu com "armas espirituais".

    A obra fala sobre a forte oposição que Francisco sofre entre a direita conservadora americana devido as suas posições em temas como imigração, meio ambiente, China, capitalismo, pena de morte e divórcio. Muitos chegam até mesmo a acusar o Papa de heresia.

    Entre os mais ferozes críticos do pontífice estão o cardeal Raymond Burke, que foi afastado de seu cargo na Suprema Corte do Vaticano, e o ideólogo de extrema-direita Steve Bannon. Além disso, a mídia católica conservadora e fiéis ricos ajudam a promover uma campanha para enfraquecer Francisco, mirando ainda a eleição de um papa conservador no futuro.

    Mais tarde, o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, procurou esclarecer os comentários do Papa, afirmando que eles foram feitos num "contexto informal" e que Francisco sempre recebe bem as críticas.

    "O Papa quis dizer que sempre considera as críticas uma honra, particularmente quando vem de pensadores competentes, e nesse caso de um país importante", disse Bruni.

    Mais:

    Carta do papa a Lula está trazendo memes nem um pouco religiosos
    Papa Francisco anuncia medidas para combater abusos sexuais e encobrimentos na Igreja
    Papa chama de 'sem sentido' a condenação de todo imigrante como ameaça
    Papa Francisco pede isenção aos juízes em vídeo e possível indireta a Moro
    Papa Francisco abre caminho para padre brasileiro acusado de ser comunista se tornar santo
    Tags:
    extrema-direita, conservadorismo, Steve Bannon, EUA, Estados Unidos, Igreja Católica, Vaticano, Papa Francisco
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar