03:13 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Escovações arqueológicas (imagem referencial)

    Descobertos fósseis de estranho predador primordial no Canadá (FOTO)

    © Fotolia / Meisone
    Sociedade
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    Pesquisadores desenterraram fósseis de um predador do Período Cambriano com garras em forma de rastelo e cabeça semelhante à nave espacial de Star Wars conhecida como Millennium Falcon.

    A descoberta proporcionou muita informação sobre um importante predador de um momento chave na evolução da vida na Terra.

    Centenas de fósseis da criatura marinha, que viveu no Período Cambriano há 506 milhões de anos, foram desenterrados pelos pesquisadores no Canadá, que definiram sua primeira descrição científica e nome, Cambroraster falcatus.

    ​Centenas de fósseis de um estranho predador são desenterradas no Canadá.

    Segundo os cientistas, a criatura era um parente distante dos artrópodes dos tempos atuais, cita o portal DW.

    "A maioria dos animais no Período Cambriano eram pequenos [...]", afirmou o paleontólogo Joe Moysiuk, destacando que o Cambroraster poderia ser considerado um gigante, já que poderia chegar a 30 centímetros de comprimento.

    O Cambriano foi uma época de experimentos evolutivos, quando quase todos os principais grupos de animais surgiram pela primeira vez, inclusive diversas criaturas estranhas.

    "Com sua cabeça enorme, corpo pequeno e olhos apontados para cima, o Cambroraster se parece com um caranguejo-ferradura-do-atlântico, apesar de em detalhe serem animais muito diferentes", afirmou Moysiuk, que acredita que o animal passasse muito tempo próximo do fundo do mar.

    Durante o Período Cambriano, entre 541 e 485 milhões de anos atrás, toda a vida animal vivia nos oceanos.

    Mais:

    Astrônomos descobrem 'nuvem fóssil' que poderia revelar mistérios do Universo
    Fóssil de serpente bebê de 99 milhões de anos é encontrado em 'túmulo' de âmbar (FOTO)
    Fóssil de baleia quadrúpede é descoberto no Peru
    Tags:
    animais, fósseis, descoberta, estudo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar