19:31 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Cordilheira perto da Antártida

    Chance de cataclismo: conspiracionista faz alarme com fraqueza do campo magnético

    © Sputnik / Aleksei Nikolsky
    Sociedade
    URL curta
    0 32
    Nos siga no

    O campo magnético da Terra está enfraquecendo e alguns pesquisadores avisam que os raios solares poderiam erodi-lo ainda mais.

    Em resultado do enfraquecimento do campo magnético e, provavelmente, da inversão magnética dos polos, a humanidade e toda a vida na Terra estão sob ameaça, acha o teórico da conspiração cristão e escritor Michael Snyder, que se descreve como "um daqueles cristãos que acreditam realmente na Bíblia".

    Snyder, cujos livros incluem os títulos "Vivendo uma vida que realmente importa" e "O início do fim", escreveu para Zero Hedge: "Hoje, a maioria de nós considera como completamente garantida a proteção fornecida pelo campo magnético da Terra."

    "Ele é basicamente um campo de forças colossal que cerca o nosso planeta e torna a vida possível. Mas mesmo com tal proteção, uma tormenta solar gigantesca poderia mesmo assim atingir o nosso planeta e queimar completamente a nossa rede elétrica."

    "Mas enquanto o nosso campo magnético continua a enfraquecer cada vez mais, mesmo tormentas solares muito mais pequenas teriam potencial para causar um cataclismo. E quando o campo magnético se tornar suficientemente fraco, nós iremos enfrentar problemas muito maiores."

    "Se uma quantidade bastante de radiação solar começar a alcançar nosso planeta, nenhum de nós sobreviverá."

    Pesquisadores declararam anteriormente que o campo magnético, que protege o nosso planeta contra a radiação cósmica, tem estado enfraquecendo nos últimos 3.000 anos, possivelmente devido à iminente inversão dos polos. Uma mudança potencial no campo magnético é um fenômeno natural que acontece a cada 200.000 a 300.000 anos, quando os polos se invertem. Ultimamente os pesquisadores têm mencionado isso cada vez mais.

    A última vez conhecida em que os polos tentaram trocar foi 40.000 anos atrás, segundo os pesquisadores, mas o processo falhou. Assim, a última inversão polar foi há 780.000 anos.

    A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos EUA tenciona atualizar a localização do Polo Norte magnético a cada cinco anos, mas a última atualização foi feita em fevereiro, um ano antes do que estava planejado, porque o polo está mudando muito rápido.

    O Polo Norte magnético está saindo do Ártico canadense e se movendo para a Sibéria, Rússia, com uma velocidade de mais de 55 km por ano, segundo uma atualização da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos EUA e da Pesquisa Geológica Britânica.

    O Doutor Nicolas Thouveny, do Centro Europeu de Pesquisa e Ensino de Geociências Ambientais (CEREGE), localizando em Aix-en-Provence, França, já avisou que "o campo geomagnético tem diminuído nos últimos 3.000 anos".

    "O campo geomagnético perdeu 30% de sua intensidade durante os últimos 3.000 anos […] Quando a reversão dos polos finalmente acontecer, o escudo magnético diminuirá em pelo menos 10%."

    Muitas espécies de animais, especialmente de pássaros, são muito sensíveis aos polos magnéticos, o que lhes permite navegar com sucesso durante os períodos de migração em massa, levando os especialistas a recear que isso pode causar confusão.

    Entretanto, nem todos os cientistas partilham esse cenário.

    Richard Holme, professor de geomagnetismo na Universidade de Liverpool, disse: "Tem havido especulações que nós estaríamos nos aproximando de uma reversão ou excursão dos polos magnéticos. Pesquisando os dois eventos de excursão mais recentes, nós mostramos que nenhum deles tem semelhanças com as mudanças atuais no campo geomagnético e, assim, é pouco provável que esse evento esteja prestes a acontecer."

    Segundo a pesquisa dele, o atual campo enfraquecido recuperará sem ocorrer esse evento extremo.

    Mais:

    1º homem a concorrer espaço: mérito de Yuri Gagarin que lhe trouxe fama mundial
    Kim Kardashian posta FOTO com pouco espaço para imaginação
    Mídia: tecnologia da Rússia supera EUA no espaço
    Tags:
    EUA, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar