22:39 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    2 0 0
    Nos siga no

    Keisuke Aiso explica que se sente "responsável" por tantas crianças estarem assustadas com sua escultura, embora tenha admitido estar feliz pela sua criação ter tido um impacto mundial.

    O escultor japonês Keisuke Aiso, autor de uma escultura sinistra que foi usada por terceiros para dar um rosto ao desafio suicida viral "Momo", afirma tê-la destruído, então "a maldição desapareceu" e as crianças não devem mais temê-la, explicou ao The Sun em seu estúdio, localizado nos arredores da capital japonesa.

    "As crianças podem ficar tranquilas, Momo está morta, não existe e a maldição desapareceu", disse Aiso, de 46 anos, ao jornal no domingo (3).

    "Já não existe, nunca foi destinada a durar, estava podre e eu joguei fora", acrescentou o artista japonês, que afirma ter mantido apenas seu olho esquerdo, porque planeja reutilizá-lo.

    Da mesma forma, Aiso diz se sentir "responsável" por tantas crianças estarem assustadas com sua escultura, usada no mencionado desafio viral, e que ele não se arrepende "de ter saído".

    O artista explicou que, apesar de estar chateado com a dor causada às crianças, há um ponto positivo em todo esse impacto mundial: sua obra repercutiu. Mesmo assim, o artista não esperava o reconhecimento, pois não é "sua obra-prima".

    História de Momo

    O trabalho original, chamado "Mother Bird" ("Mãe Ave"), foi feito em 2016 e exibido em uma galeria de arte alternativa em Tóquio (Japão) com "a intenção de assustar as pessoas", embora o artista considere "lamentável" a forma como foi usada. Aiso se inspirou em uma personagem folclórica, que retrata uma mulher que oferece um bebê a desconhecidos, e que transforma os que aceitam a criança em pedras e paus.

    No entanto, no ano passado, a imagem foi transformada em uma boneca virtual assustadora Momo que propõe desafios que podem colocar em risco a vida de milhares de jovens.

    Momo é um desafio de enforcamento representando pela imagem aterrorizante de uma escultura japonesa metade mulher, metade pássaro que foi exibida na galeria Vanilla, de Tóquio, em 2016, como parte de uma exposição sobre fantasmas e espectros. A escultura apresenta olhos esbugalhados, pele pálida e um sorriso sinistro, além de patas de pássaro. O novo viral começou a ser compartilhado em julho do ano passado aqui no Brasil, depois de chamar a atenção das autoridades em países como Argentina, México, Estados Unidos, França e Alemanha.

    Mais:

    Boneca Momo aterroriza pais e professores e já pode estar matando no Brasil
    Momo instigou suicídio de menina argentina? Desafio viral pode estar tomando outro rumo
    Cuidado com 'Momo', o desafio do WhatsApp que rouba suas informações pessoais
    Tags:
    desafio, Momo, viral, criação, perigo, crianças, Japão, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar