19:16 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Multidão

    Esqueça todos os mitos ecológicos: há uma ameaça mais séria que paira sobre humanidade

    CC BY 2.0 / James Cridland / Crowd
    Sociedade
    URL curta
    19167

    A Sputnik França falou com o pesquisador da Academia de Ciências da Rússia e líder da associação acadêmica Ekos, Artyom Akshintsev, para saber qual é a principal ameaça para o nosso futuro.

    "O maior problema ecológico não são os resíduos plásticos ou o aquecimento global. É a superpopulação humana. Quatro bilhões de pessoas vão passar a dormir com fome e as reservas de água potável são muito limitadas", diz o cientista.

    Segundo ele, os ecologistas e futurologistas fazem previsões sobre o que espera a humanidade nos próximos anos. Usando modelos especiais nas suas pesquisas, eles chegaram à conclusão que o ponto crítico pode chegar dentro de menos de 100 anos.

    "Considera-se que, quando o número de pessoas no nosso planeta atingir 12 bilhões, neste momento acontecerão catástrofes globais", explicou ecologista.

    Akshintsev sublinhou que a humanidade deve reconhecer que as capacidades da Terra são limitadas e que o planeta não pode comportar mais pessoas do que ele consegue. O problema da superpopulação terá que ser resolvido o mais rápido possível.

    Para além disso, o ecologista descartou alguns mitos ecológicos muito populares hoje em dia:

    Aquecimento global

    Akshintsev está seguro que não há aquecimento global, o mais provável é que se trate de apenas mais uma mudança do clima.

    "O clima está mudando constantemente, vivemos na época interglacial. Na história da Terra houve pelo menos oito épocas glaciais sérias. É lógico pressupor que haverá a nona", esclareceu.

    Falando das imagens das geleiras que estão derretendo, o cientista frisou que, em sua opinião, são processos naturais, porque a temperatura na Terra depende dos ciclos de atividade solar, dos vulcões, dos gazes naturais. Claro que há fatores antropogênicos, mas não são assim tão grandes, detalhou;

    Nas últimas décadas as pessoas maltrataram ainda mais a natureza

    Mais um mito, porque, segundo Akshintsev, as pessoas começaram a maltratar a natureza no momento em que começaram a mudar as suas áreas de habitat. Nossa espécie causou impacto na extinção de vários tipos de animais.

    Afirmar que as tecnologias e o progresso afastam as pessoas da consciência ambiental não é correto, porque, para o ecologista russo, durante os últimos anos as pessoas passaram a ter vários instrumentos para influenciar a natureza, mas com isso aprenderam a lidar com ela de forma mais refletida;

    Ilhas de plástico nos oceanos

    Não existem ilhas de lixo nos oceanos, acredita o cientista. Tem, sim, manchas compostas por lixo: os resíduos plásticos se decompõem e viram uma substância gelatinosa.

    "O plástico em condições extremas, ou seja, na água salgada, e sob a ação dos raios ultravioleta, quer dizer, do Sol, começa a se decompor ", destacou.

    Na água salgada este processo se acelera e, em um ano, o oceano pode "digerir" uma garrafa plástica, resumiu o cientista.

    Mais:

    Projeto marítimo polonês viola ecologia russa?
    Com rodízio à paulistana, capital da Índia salva ecologia
    Rússia apresenta modelo de avião de passageiros supersônico e ecológico no show aéreo MAKS
    Tags:
    humanidade, população, natureza, ecologia, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik