14:56 21 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Uma serpente

    Você consegue vê-la? FOTO com cobra venenosa é novo desafio dos internautas

    CC0 / WikiImages /Pixaby
    Sociedade
    URL curta
    0 04
    Nos siga no

    Serpente venenosa foi encontrada perto de uma ciclovia ao lado do colégio Hazel Glen em Melbourne, Austrália.

    O réptil foi encontrado por Mark "Caçador de Cobras" Pelly na semana passada. Ele tirou uma foto e perguntou a seus amigos do Facebook se conseguem ver o animal.

    De 14.000 pessoas que viram a foto, apenas um em cada 100 detectou o réptil. Metade dos "com boa visão" até conseguiu indicar a espécie da serpente.

    Segundo Pelly, nem é tão difícil encontrá-la, mesmo assim, muitos internautas perderam muito tempo tentando cumprir o desafio dado.

    Um escreveu: "Ok, mais uma vez eu não posso vê-la. Sério, podemos ter cobras ao redor de nossa casa e não as veremos."

    Outro duvidou: "Sinto que é uma questão traiçoeira."

    Não foi apenas por desejo de deixar seus amigos perplexos, Pelly destacou que tinha achado perigoso o fato de que uma serpente assim simplesmente estava perto de um colégio e crianças poderiam ter dado de cara com o réptil, cuja mordida é fatal.

    "Era uma das serpentes venenosas e pouco conhecidas aqui em Melbourne", disse Pelly para o portal Yahoo, acrescentando que uma só mordida pode matar pessoa caso não tome antídoto a tempo.

    O caçador advertiu para que pessoas tenham cuidado e, se encontrarem uma serpente na rua, busquem profissionais e não toquem no réptil que pode ser extremamente perigoso.

    E aí, você conseguiu encontrar ou precisa de uma ajudinha?

    Serpente encontrada em Melbourne, Ausrtália
    Serpente encontrada em Melbourne, Ausrtália

    Mais:

    Cobra venenosa e mangusto travam batalha intensa (VÍDEO)
    Indonésio vence cobra de 7,8 metros e prepara banquete com sua carne para vizinhos (FOTOS)
    Tags:
    venenosas, cobras, serpentes, Melbourne, Austrália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar