01:05 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Homem rico

    Predadores sexuais: o que leva celebridades a cometerem assédio?

    CC0 / Pexels / stokpic.com
    Sociedade
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    O atacante brasileiro Robinho integra a lista de celebridades acusadas de abuso sexual. Com uma pena de nove anos de prisão, o jogador está envolvido nos escândalos de denúncias do ano, cujos principais protagonistas são Harvey Weinstein, reconhecido produtor de Hollywood e Roy Moore, candidato ao Senado dos EUA.

    Todas estas celebridades têm muito dinheiro e milhares de admiradores, mas uma credibilidade mais frágil do que o vidro. Nenhum deles admitiu suas ações, talvez apenas Weinstein, que reconheceu "mau comportamento", prometendo se reabilitar como um rebelde adolescente.

    A doutora Margarita Ortiz-Tallo, professora da Faculdade de Psicologia da Universidade de Málaga, Espanha, explicou à Sputnik Mundo que estes atos são originados pelo narcisismo destes personagens, ligados ao poder e protegidos por sua posição social.

    "Quem comete crimes não é sempre um viciado em drogas excluído da sociedade, quem comete estes atos maioritariamente é o narcisista que tem muito poder", afirmou Ortiz Tallo.

    "Uma pessoa assim tem a certeza de que isso é correto porque vai dar algo em troca e ela [a vítima] tem que estar contente porque ele é um homem importante", opinou a especialista.

    Quem conta com o maior número de denúncias é Weinstein, tendo acusações desde assédio até estupro. Atrizes e aspirantes a trabalhar em filmes dele, tanto atrás das câmeras como em frente delas, eram supostamente convocadas para um lugar privado a fim de discutir um filme ou até uma campanha para se promover ao Oscar.

    Muitos dos casos datam dos anos 90, envolvendo mulheres como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow ou Ashley Judd, entre outras, que tinham por volta de 20 anos e apenas estavam começando sua carreira cinematográfica.

    Robinho, por sua parte, foi detido por ações semelhantes em 2009, quando jogava no clube britânico Manchester City, porém foi liberado após pagar uma fiança.

    Agora o jogador foi condenado por um ato cometido em janeiro de 2013 em Milão, quando Robinho e mais cinco homens teriam estuprado uma jovem de 22 anos.

    O político norte-americano Roy Moore foi alvo de acusações semelhantes, tendo sido parcialmente apoiado pelo presidente Donald Trump. A primeira denúncia contra Moore surgiu em 9 de novembro em um artigo do The Washington Post, segundo o qual o republicano tentou abusar sexualmente de uma menina de 14 anos na década dos anos 70.

    Trump achou que as acusações contra Moore eram "preocupantes", mas não assumiu uma posição pública contra ou a favor dele, deixando aos votantes decidir o destino da campanha do político.

    Mais:

    Como lei sobre mudança de sexo desencadeia rebelião da Grécia a todo mundo ortodoxo
    Sobreviver ou fazer sexo? Cientistas explicam quanto nosso coração aguenta
    Tags:
    estupro, assédio sexual, violação, abuso sexual, Senado dos EUA, Harvey Weinstein, robinho, Brasil, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar