01:38 20 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    120
    Nos siga no

    O autor dos fatos disparou e jogou sua amada de um penhasco por não aceitar que ela quisesse terminar o relacionamento.

    Loren Bunner foi condenado a 52 anos de prisão por assassinar a sua ex-namorada, Jolee Callan, e jogá-la a um precipício no estado de Alabama (EUA) em agosto de 2015, informou o jornal The Sun.

    Bunner, que naquela época tinha 20 anos, convidou Callan, que tinha 18 anos, para dar uma volta a um lugar isolado, e disparou duas vezes com um fuzil na nuca e entre os olhos, antes de jogá-la no vazio.

    Depois de ter cometido o crime, o autor dos fatos publicou imagens da sua ex-namorada ainda viva, na sua conta do Instagram.

    Oh, @joleeisakitten the photographer.

    Публикация от Loren Bunner (@lorendaniel) Авг 30 2015 в 10:13 PDT

    Horas depois, o jovem ligou à polícia, confessou o assassinato e assegurou que se tratou de um pacto de suicídio, no qual ele não teve coragem de cumprir sua parte. Contudo, os investigadores consideraram que ele realizou seu plano de homicídio por não aceitar que sua amada tivesse decidido terminar o relacionamento.

    Por sua vez, os familiares de Jolee afirmaram que ela fazia planos para o futuro e não parecia estar deprimida. Além do mais, na véspera dos eventos ocorridos, escreveu a sua amiga em tom de brincadeira: "Caso me aconteça algo, saberás com quem eu estive."

    No último mês de julho, Loren Bunner se declarou culpado. Na sua sentença, o tribunal levou em conta que ele se gabou do assassinato em frente de seus companheiros de cela na prisão, comentando que Jolee Callan seria dele ou de mais ninguém.

    Oh, ya know. Just enjoying the view. @joleeisakitten

    Публикация от Loren Bunner (@lorendaniel) Авг 30 2015 в 9:57 PDT

    I look dumb, but bae's cute.

    Публикация от Loren Bunner (@lorendaniel) Дек 6 2014 в 1:51 PST

    Mais:

    Homem é condenado a 16 anos de prisão por matar 21 gatos
    EUA aprovam por lapso projeto de lei que permite às mulheres grávidas matar
    Professor de universidade norte-americana instiga estudantes a matar pessoas brancas
    Tags:
    namorada, homicídio, assassinato, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar