03:50 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    334
    Nos siga no

    Um jogo on-line russo sobre o conflito na Síria, Syrian Warfare (Guerra na Síria), foi várias vezes retirado do mercado por Steam, a maior plataforma digital do mundo especializada na venda de jogos, apesar das avaliações bem positivas e popularidade entre os jogadores.

    Presidente dos EUA Barack Obama
    © Sputnik / Sergey Guneev
    O jogo foi desenvolvido pelo estúdio russo Cats Who Play e começou a ser vendido pela plataforma digital Steam no dia 24 de fevereiro.

    O Syrian Warfare conta a história de um policial sírio que vive em conflito desde o início do jogo, participando de batalhas contra terroristas.

    Apesar dos elogios por parte dos jogadores, Guerra na Síria foi retirado das vendas no dia 1º de março.

    Imagem do videojogo Syrian Warfare
    © Foto / Cats Who Play
    Imagem do videojogo Syrian Warfare

    O desenvolvedor de Steam, serviço de venda eletrônica, recebeu uma queixa formal do estúdio GFI que, alegadamente, denunciou uso de suas imagens e códigos por parte de Cats Who Play. Em resposta, o desenvolvedor do jogo negou as acusações e prometeu mostrar todas as etapas da elaboração.

    Ao mesmo tempo, vários jogadores fizeram uma petição no portal Change.org exigindo que o jogo on-line voltasse a ser vendido.

    Mas poderá haver outras causas. Um representante do estúdio russo postou em sua página na rede social VKontakte que "ativistas ligados ao Exército Livre da Síria estavam falando nas redes sociais sobre o projeto buscando impedir a venda do jogo".

    Um blogueiro, que falou sobre o videogame no YouTube, denunciou queixas falsas contra a sua página que buscavam somente suspender seu canal para que, assim, fossem retirados seus vídeos do ar.

    Por sua vez, o desenvolvedor do jogo on-line afirmou estar pronto para se defender no tribunal e até prometeu oferecê-lo de graça.

    "Não é um jogo, mas sim uma postura pessoal; o dinheiro é secundário", confessou.

    O autor do jogo explicou que os usuários de Steam estão comprando o soundtrack original que está disponível para a sua compra.

    Mais:

    Mestres Pokémon se irritam com atualização malsucedida do game
    Tags:
    guerra, conflito, videogame, YouTube, VKontakte, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar