11:33 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Foto de arquivo (1 de maio de 2016) mostra protesto contra presidenciável Donald Trump

    Califórnia independente quer cooperar com a Rússia

    © AFP 2017/ Mark Ralston / GETTY IMAGES NORTH AMERICA
    Sociedade
    URL curta
    514682317

    Os apoiantes da separação do estado norte-americano da Califórnia querem abrir um escritório na Rússia.

    O jornal The Business Insider divulgou neste domingo (20) que o grupo de ativistas Yes California, que apareceu ainda antes as eleições presidenciais, quer ter uma representação na Rússia.

    O líder dos ativistas, Louis Marinelli, se deslocou à Rússia dois meses atrás para se encontrar com representantes do movimento antiglobalista russo. Segundo Marinelli, os membros do movimento russo partilham a opinião dele de que o estado de Califórnia tem direito à autodeterminação.

    O líder do assim chamado CalExit (a sigla criada por palavras em inglês "exit" — saída e California) nota que a representação da organização não tratará de assuntos diplomáticos e será só um centro de divulgação que dará a conhecer aos russos a história e a cultura deste estado norte-americano. Assim, o líder espera que o centro apoie o turismo e as relações comerciais, o que permitirá à Califórnia se separar e alcançar a independência em breve.

    O artigo destaca que Marinelli reside na Califórnia e é ex-professor de russo. 

    Enquanto isso, o hashtag criado para a organização #CalExit continua ganhando popularidade nas redes sociais, especialmente após 9 de novembro, quando foram anunciados os resultados das eleições presidenciais.

    O hashtag é um análogo direto do Brexit, o que significa a saída da Grã-Bretanha da União Europeia, pela qual os cidadãos britânicos votaram em junho do ano corrente.

    Mais:

    Corrigindo os erros: sistema eleitoral dos EUA pode mudar
    Califórnia, Massachusetts e Nevada legalizam maconha para uso recreativo
    Tags:
    CalExit, Donald Trump, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik