11:53 21 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Alunos da escola 18, especializada em ciências exatas, discutem um problema de matemática (foto de arquivo)

    Enquete: Europeus insatisfeitos com qualidade da educação nos seus países

    © Sputnik / Aleksandr Makarov
    Sociedade
    URL curta
    Sputnik-Opinião (32)
    121

    De acordo com os dados da pesquisa Sputnik-Opinião, a maioria dos residentes da Itália (64%), França (63%) e Alemanha (54%) não está satisfeita com sistema de educação primária e secundária nos seus países.

    Só 28% dos franceses, 31% dos italianos e 41% dos alemães estão satisfeitos. 9% na França e 5% na Itália e Alemanha não puderam responder. Os dados foram obtidos em uma pesquisa realizada pela empresa de opinião pública Ifop por pedido da agência de notícias e rádio Sputnik.

    Na Itália, o número de insatisfeitos com o ensino primário e médio é grande tanto entre os representantes da faixa etária entre 18 e 34 anos (62% dos insatisfeitos contra 33% dos satisfeitos), como na faixa etária maior de 35 anos (35% dos insatisfeitos contra 30% dos satisfeitos). Na França, há também uma diferença importante nas respostas das faixas etárias menor e maior de 35 anos. 53% dos entrevistados, menores de 35 anos, não estão satisfeitos com a qualidade da educação, 37% se dizem satisfeitos, 10% responderam "não sei". Entre os entrevistados maiores de 35 anos, a porcentagem dos insatisfeitos é maior ainda — 66% contra 25%. 9% afirmaram não saber a resposta.

    Europeus insatisfeitos com qualidade da educação nos seus países
    © Sputnik /
    Europeus insatisfeitos com qualidade da educação nos seus países

    Na Alemanha, há uma diferença sensível entre as respostas das mulheres e dos homens. 57% das mulheres interrogadas não estão satisfeitas com a qualidade da educação primária e média, 38% estão satisfeitas e 5% não sabem. Entre os homens, a porcentagem correspondente é 50%, 45% e 5%. A metade dos participantes alemães menores de 35 anos (50%) está satisfeita com educação oferecida no país, 47% estão insatisfeitos, somente 3% dos entrevistados responderam "não sei". Participantes maiores de 35 anos mostram mais insatisfação no quesito da qualidade da educação — 56% contra 38%, 6% não sabem. Na Alemanha Ocidental, há 51% entrevistados insatisfeitos com a qualidade da educação primária e média, contra 44%; 5% responderam "não sei". Na Alemanha Oriental, a porcentagem de insatisfeitos prevalece: 61% contra 33%, 6% não sabem. A maior porcentagem de insatisfeitos com a qualidade da educação foi registrada em Berlim: 74% contra 24%, 2% responderam "não sei".

    A enquete foi realizada pela empresa de opinião pública mais antigada França, IFop, entre 28 de junho e 4 de julho de 2016. A pesquisa entrevistou 3.006 pessoas: 1.000 alemães, 1.004 franceses e 1.002 italianos, todos maiores de 18 anos. Os dados da pesquisa levaram em consideração sexo, idade e geografia dos entrevistados. A margem de erro por país não supera os 3,1% e a probabilidade de acerto é de 95%.

    O que é a Sputnik-Opinião?

    É um projeto internacional de estudo da opinião pública que foi posto em prática a partir de janeiro de 2015. As conhecidas empresas Populus e IFop são parceiras do projeto. No quadro da Sputnik-Opinião são realizadas regularmente pesquisas em vários países da Europa e dos EUA sobre temas sociais e políticos da atualidade.

    A Sputnik é uma agência de notícias e rádio com representações e redações multimídia em dezenas de países. A Sputnik inclui sites (34 ao todo), emissões de rádio analógicas e digitais, aplicativos para celular e páginas nas redes sociais.

    Tema:
    Sputnik-Opinião (32)

    Mais:

    Protestos contra reforma da educação resultam em confrontos com a polícia
    Educação universitária leva a maior risco de tumor cerebral
    Especialista diz que não há mais como fazer cortes em saúde e educação
    Protestos contra fusão dos ministério da Cultura e Educação ocorrem em 18 capitais
    Tags:
    Sputnik-Opinião, Sputnik.Polls, educação, Itália, Alemanha, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar