05:08 26 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    504
    Nos siga no

    Na manhã desta segunda-feira, na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, 420 calcinhas estavam espalhadas pela areia. Este é o número de mulheres estupradas a cada 72 horas. O protesto foi organizado pela ONG Rio de Paz, segundo informação divulgada pelo jornal Estado de São Paulo.

    A praia também recebeu painéis com fotografias de Márcio Freitas, que retratam o sofrimento das vítimas de abuso sexual. Segundo a organização do ato, cerca de 50 mil mulheres são estupradas por ano em todo o país. 

    Além do ato, nesta segunda-feira foi realizada uma audiência pública para debater a cultura do estupro, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Umas das convidadas foi a delegada Cristiana Bento, da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima, que conduz o caso da jovem que sofreu estupro coletivo na zona oeste da capital fluminense. 

    Mais:

    Dilma, em ato no Rio, condenou cultura de estupro e criticou o governo provisório
    São Paulo sedia caminhada de mulheres contra a cultura do estupro
    Programa de proteção a adolescentes ameaçados de morte guarda vítima de estupro coletivo
    População se manifesta contra cultura do estupro
    Manifestações marcadas em todo país após caso de estupro no Rio
    Tags:
    intervenção, ato, cultura do estupro, Copacabana, Brasil, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar