06:32 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Na última terça-feira (30/06), a Câmara Municipal de São Paulo aprovou o Projeto de Lei de autoria do vereador Adílson Amadeu (PTB) que proíbe o uso de carros particulares cadastrados em aplicativos para o transporte remunerado de pessoas
    Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

    Taxistas e Uber em armas pela concorrência

    Sociedade
    URL curta
    521

    A rivalidade de taxistas com motoristas do serviço Uber está cada dia mais violenta nas sete cidades que operam o aplicativo no Brasil (Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Campinas, Goiânia, Porto Alegre e Belo Horizonte). Quem tem razão nesse confronto?

    Em São Paulo, por exemplo, a Polícia Civil vai realizar operações em diversos pontos da capital até o final de fevereiro para tentar flagrar armas de fogo, facas e outros objetivos que estão sendo usados em confrontos entre as duas classes no Estado.

    Taxistas estão realizando ataques e ameaças contra os motoristas do Uber em São Paulo desde agosto do ano passado, quando um grupo armado montou uma emboscada solicitando um falso chamado do serviço do aplicativo. Quando o motoristas do Uber chegou ao local combinado, diversos taxistas espancaram o motorista de 22 anos e ainda depredaram o veículo. O último ataque aconteceu no dia 5 de janeiro, envolvendo cinco taxistas armados de barra de ferro, que também destruíram o carro de um motorista do Uber, que era ex-taxista. Após o ataque, o motorista resolveu blindar o veículo.

    Segundo a Polícia Civil de São Paulo, na madrugada de quinta-feira (4), pelo menos quatro taxistas foram detidos portando facas e canivetes escondidos nos veículos. Na delegacia, eles alegaram que usavam as armas para uso mecânico. Todos só foram liberados após assinarem um termo circunstanciado, documento usado para tipificar uma infração de menor potencial ofensivo, mas que serve como uma espécie de procedimento investigatório da polícia judiciária.

    Sputnik Brasil ouviu a advogada Marcela e o publicitário Gabriel, dois usuários dos serviços de táxi e do Uber no Rio de Janeiro, que avaliaram o atendimento dos dois tipos de transporte na cidade.

    Marcela admite que atualmente, ao escolher um serviço de transporte para circular no Rio de Janeiro, está preferindo o atendimento do Uber ao táxi, pelo fato do serviço proporcionar mais conforto e rapidez no atendimento. “Atualmente eu tenho utilizado bastante o Uber pela comodidade. É um serviço mais rápido. Eu consigo encontrar com mais facilidade do que táxi, mesmo tendo muitos táxis circulando na rua, e ao mesmo tempo me oferece um conforto maior, então, eu acabo optando pelo Uber.”

    A advogada Marcela destaca que o Uber proporciona não só conforto em termos da qualidade do veículo, mas principalmente a facilidade do pagamento através do cartão de crédito. “Não apenas em qualidade do veículo, mas também no tratamento, e principalmente em relação ao pagamento da corrida. Eu acho muito mais conveniente do que o pagamento convencional que fazemos em táxis. Eles fazem a cobrança através do cartão de crédito. Você instala o aplicativo no seu celular, cadastram você como um usuário e a partir daí as suas corridas vão sendo cobradas no boleto do seu cartão de crédito. No meu caso e de muitas pessoas que não costumam andar com muito dinheiro na rua, ou então estão despreparadas para pegar qualquer tipo de transporte e não tem dinheiro naquele momento, acaba sendo mais conveniente o Uber, sim.”

    Marcela também destaca o padrão de atendimento dos motoristas do Uber em relação aos taxistas do Rio. “Muitas vezes não se compara com um tratamento que você recebe em um táxi. Existe um padrão de conduta, eu acredito, de regras ao motorista para ele seguir. É um tratamento diferenciado, tratando o consumidor com mais respeito e cuidado.”

    Em termos de valor cobrado, o Uber permite que o usuário saiba o preço estimado de uma corrida antes de solicitar o motorista e, para a advogada, em todas as vezes que precisou do serviço, achou o valor do Uber mais vantajoso do que em um táxi convencional. “A maioria delas me trouxe um valor mais em conta. Quando eu coloco no aplicativo o meu destino, ele dá uma estimativa. Quando eu comparo com o táxi, por exemplo num trajeto até a minha casa, eu percebo que a viagem do Uber chega a ser até R$5 menor do que em um táxi.”

    O publicitário Gabriel compartilha da mesma preferência pelo Uber. “Hoje, de 12 meses para cá, eu prefiro o Uber. Primeiro pela forma de pagamento. Em todos os carros do Uber podemos pagar com cartão de crédito, sem precisar estar com dinheiro no bolso. Isso facilita bastante.”

    Sobre a qualidade do veículo Uber, Gabriel classificou os carros do serviço online muito mais confortáveis e de marcas superiores, do que os dos táxis convencionais. “É outro segmento de carro, são carros que custam entre R$ 30 mil a R$ 40mil. É outro patamar de carro, é um nível acima. São maiores e mais confortáveis.”

    Quando ao padrão de atendimento dos motoristas do Uber e de taxistas, o publicitário também vê grande diferença no preparo de cada um. “O padrão de atendimento do Uber tem um material humano mais qualificado, mais educado e mais refinado. Os motoristas usam camisa e calça social, às vezes até de terno, é um padrão acima também.”

    Já sobre as tarifas cobradas pelo serviço Uber, Gabriel critica o valor da corrida, quando a demanda fica maior do que a oferta. “Se eu estou em Ipanema e há vários usuários solicitando o serviço no bairro, e eles estão com poucos carros naquela região, o preço da tarifa sobe, e sobe muito. Mas eles avisam antes pelo aplicativo se você quer ou não aceitar a tarifa mais cara.”

    Além do valor da corrida depender da quantidade de veículos em uma região em relação a demanda, a tarifa do Uber também varia de acordo com o tipo de carro, trânsito, rota e tempo.

    Mais:

    Câmara debate a legalidade do aplicativo Uber no Brasil
    Senado vai regulamentar serviço do Uber nas cidades brasileiras
    Número de usuários do Uber cresce 20 vezes em dia de protestos de taxistas no Rio
    Depois da greve dos táxis, Prefeitura do Rio vai recorrer à Justiça contra o Uber
    Uso do aplicativo Uber intensifica protestos no Brasil
    Tags:
    taxistas, Sindicato dos Taxistas Autônomos de São Paulo, Uber, São Paulo, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik