11:10 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Manifestação de opositores do presidente Rafael Correa em Quito

    Manifestações contra e a favor do presidente Correa tomam as ruas de Equador

    © AFP 2017/ RODRIGO BUENDIA
    Sociedade
    URL curta
    306

    Milhares de manifestantes tomaram as ruas da maior cidade equatoriana, Guayaquil, para protestar contra as políticas do presidente Rafael Correa, especialmente contra suas novas propostas tributárias.

    As manifestações, lideradas pelo prefeito Jaime Nebot, são parte da terceira semana de protestos contra o governo de Correa. Nesta quinta-feira, também houve grandes protestos na capital do país, Quito, e em outras cidades.

    Emissoras de televisão mostraram imagens de milhares de pessoas na principal avenida de Guayaquil, levando bandeiras e cartazes com dizeres como "Chega de abusos, chega de impostos" e "Equador não é Venezuela". Em um discurso duro, Nebot disse que o Equador passa por tempos difíceis, não apenas política, mas ideologicamente, e acusou o governo central de dividir os equatorianos, seguindo o caminho do regime venezuelano.

    Partidários do governo também realizaram grandes manifestações, muitas vezes ao mesmo tempo, mas separadas pela polícia.

    Um projeto de lei para taxar heranças em até 77,5% e outro de um imposto de 75% sobre ganhos de capital do setor imobiliário foram o estopim dos protestos, que incluem reclamações contra as políticas econômicas do governo. O presidente argumenta que os protestos buscam desestabilizar seu governo e que os novos impostos buscam garantir mais igualdade. No Equador, 95% dos negócios são familiares, informou Agência Estado.

    Tags:
    oposição, protestos, Rafael Correa, América do Sul, América Latina, Equador
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik