03:14 28 Março 2017
Ouvir Rádio
    Favela Mineira no Rio de Janeiro

    Governo: o sistema de energia do país é confiável

    © AFP 2017/ YASUYOSHI CHIBA / AFP
    Sociedade
    URL curta
    0 21401

    O tema seria o novo plano de exportações, mas a primeira reunião na retomada do Conselho Nacional do Desenvolvimento Industrial (CNDI), no início desta semana, teve como eixo central a discussão sobre oferta e custo de energia no País.

    Prestes a enfrentar reajustes que podem passar dos 50%, representantes da indústria voltaram a defender a diferenciação dos custos para produção e consumo, além de cobrar investimentos em linhas de transmissão.

    A maior preocupação do governo, durante a reunião, foi assegurar ao setor industrial de que não há risco de apagões e racionamento. Em uma longa apresentação, o ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, garantiu aos empresários que o sistema é "robusto" e confiável, afirmou que os investimentos nas linhas de transmissão estão sendo feitos e, mesmo com problemas nas hidrelétricas, as térmicas são capazes de garantir o sistema.

    Do outro lado da mesa, a questão não era apenas a preocupação com a falta de energia, mas o custo para a produção, uma antiga preocupação. Há pelo menos cinco anos a Confederação Nacional da Indústria (CNI) reclama dos custos cobrados pela energia industrial. Agora, com seu ex-presidente, Armando Monteiro, na cadeira de ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, a discussão ganhou fôlego.

    Há um consenso entre os empresários de que o governo precisa diferenciar energia para consumo da energia para produção, como é feito em outros países. Essa diferença, alegam, piora a competitividade dos produtos brasileiros no exterior. 

    Antes mesmo do reajuste previsto para esse início de ano, cálculos do setor apontam que a indústria tem, hoje, um custo de R$ 402 por KWh, o sexto maior do mundo. As reduções feitas no ano passado para o consumidor residencial não chegaram às empresas, que reclamam de serem oneradas pela produção.

    Fonte: Estadão Conteudo

    Tags:
    energia, economia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik